Bovespa fecha em alta e encerra semana com valorização de 2,9%

Bovespa fecha em alta e encerra semana com valorização de 2,9%

Bolsa teve alta de 1,93%, para 49.874 pontos. Dados positivos da economia chinesa animaram investidores.

A Bovespa teve o segundo dia de forte alta nesta sexta-feira (9), deslocada de Wall St, e fechou a semana em alta de quase 3%, com investidores animados por dados indicando estabilização da economia chinesa.

O Ibovespa subiu 1,93%, para 49.874 pontos.

Na semana, a valorização foi 2,89% e no mês, foi de 3,4%. No ano, há desvalorização de 18,17%.

Na máxima da sessão, o índice atingiu exatos 50 mil pontos, patamar que não alcançava desde 17 de junho.

Ações

Assim como na véspera, quando o Ibovespa teve a maior alta diária em cinco meses, os papéis da mineradora Vale foram os que mais contribuíram para levantar o índice. A companhia anunciou na quinta-feira que vai adotar uma modificação contábil para amenizar os efeitos da variação do câmbio sobre seus resultados trimestrais.

Os papéis da siderurgia Usiminas também se beneficiavam das notícias animadoras da China, importante parceiro comercial do Brasil. Dados mostraram que a produção industrial da China subiu 9,7% em julho ante o ano anterior, enquanto as vendas no varejo aumentaram 13,2%.

Contribuíam ainda para levantar o índice a mineradora MMX, e a blue chip Petrobras.

No outro sentido, caíam os papéis da petroleira OGX, que divulgou na véspera um tombo de 40% na produção em julho contra junho.

BM&F Bovespa era outro destaque de queda. Em meio a receitas recordes nos segmentos de ações e derivativos, a operadora da bolsa paulista divulgou na véspera que seu lucro cresceu 17% no segundo trimestre na comparação anual.

Suas ações, porém, recuavam após comentários de executivos na teleconferência da empresa, indicando que o volume de negócios na bolsa pode cair. "Eles afirmaram que o volume diário (médio no segmento de ações) do terceiro trimestre vai cair. Daí o tombo nas ações", afirmou o estrategista-chefe da SLW Corretora, Pedro Galdi.

PDG Realty também recuava, após a companhia anunciar que teve prejuízo de R$ 104,9 milhões no segundo trimestre.

Fonte: G1