Brasil fica em 49º em um ranking de países "que fazem bem para o mundo"

País foi bem no quesito planeta e clima, mas mal em prosperidade e igualdade; Irlanda ficou em 1º

O Brasil é o 49º país que mais faz bem para o planeta, segundo um novo estudo que avalia a contribuição dos países para humanidade.

O Good Country Index (Índice do Bom País, em tradução livre), concebido pelo consultor britânico Simon Anholt, especialista em marketing de nações e autor de vários livros sobre o assunto, avalia 125 nações.

O índice tenta medir qual o impacto internacional de políticas e comportamentos dos países. Esta é a primeira edição do ranking (veja a lista completa em http://bbc.in/1laLTim).

A Irlanda ocupa o primeiro lugar no estudo, que analisa as atitudes dos países em sete categorias: ciência e tecnologia, cultura, paz e segurança internacional, ordem mundial, planeta e clima, prosperidade e igualdade e saúde.

O termo "bom" é aplicado para se referir a nações que mais contribuem para o bem comum do planeta e o que tiram dele. Assim, "bom" é o oposto de "egoísta" e não de "ruim", diz o estudo.

A Irlanda foi o mais bem avaliado no quesito prosperidade e igualdade - justamente o item em que o Brasil teve sua pior análise, ficando na 123ª posição.

O Brasil, no entanto, foi o quinto melhor avaliado no item planeta e clima.

No quesito ordem mundial, o país ficou na 37ª posição; cultura, em 49º; saúde, em 52º; ciência e tecnologia, em 75º; e paz e segurança internacional, em 83º.

Os dados utilizados dizem respeito principalmente a 2010.

Bons e nem tanto

Nove entre os dez primeiros colocados são países da Europa Ocidental.

Entre os países da América Latina, o mais bem classificado é a Costa Rica, que ocupa a 22ª colocação.

Chile (24º) e Guatemala (29º) são as outras nações latino-americanas entre os 30 países mais bem avaliados. Paraguai (54º) e Argentina (57º) ocupam posições inferiores à do Brasil.

Em último está a Líbia, que vive um conflito interno, atrás de Iraque, também sob instabilidade, e Vietnã.

Os Estados Unidos ocupam a 21ª posição, devido à baixa avaliação em relação aos itens paz e segurança internacional.

O país africano que mais contribui para o planeta é o Quênia, que ocupa o 26 º lugar - o único país do continente a entrar no top 30.

Categorias

A equipe justificou o índice dizendo que os "maiores desafios enfrentados pela humanidade atualmente não têm fronteiras" e que "a única maneira de combatê-los propriamente é através de esforços internacionais".

O conceito de "bom país" tem como finalidade incentivar os habitantes e seus governos a olhar "para fora" e considerar as consequências internacionais de seu comportamento, diz o relatório.

Trinta e cinco dados foram analisados, entre eles, os índices de crescimento populacional, número de assinaturas de tratados da Organização das Nações Unidas e de refugiados hospedados, liberdade de imprensa e até ganhadores de Prêmio Nobel.

Sob o quesito paz e segurança mundial, por exemplo, foram comparados dados como soldados cedidos para missões de paz, contribuições com orçamentos de operações de paz, conflitos internacionais violentos, exportação de armas e segurança na internet.

Anholt passou os últimos dois anos compilando os dados de entidades como a ONU, o Banco Mundial e outras organizações internacionais e não-governamentais para produzir o estudo.

Fonte: G1