Brasileiro aproveita 13º para comprar carro zero

Estudo mostra que 7 milhões de famílias têm potencial para comprar veículo novo

Com o emprego e os salários em alta, as contas em dia e o crédito farto, o 13º salário virou uma possibilidade real para o brasileiro dar entrada no carro zero km. Por outro lado, a indústria automobilística já começou a oferecer descontos porque tem interesse em acabar com os estoques - sobretudo os fabricados em 2010.

O presidente da Fenabrave (Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores), Sérgio Reze, afirma que há um clima de vontade de comprar diversos bens, mas não é o 13º o que faz o brasileiro comprar o automóvel - embora seja um estímulo para a compra. Ele explica que se fosse assim, ?estaríamos esperando o fim do ano para observar um aumento de vendas?.

- Se o consumidor tem uma disponibilidade maior, ele vai se aproveitar disso, inclusive para comprar um veículo novo. Ele pode ainda aproveitar o 13º para equipar o carro, como colocar algum acessório que dê mais conforto ao veículo.

Um estudo divulgado pelo banco Santander, na semana passada, estima que 7 milhões de famílias brasileiras, que não têm automóvel, têm condições financeiras para adquirir seu primeiro veículo. Para chegar à conclusão, o estudo levou em conta as três condições essenciais para comprar um carro ?popular?: preço, renda e crédito.

Com base em dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o levantamento mostra que, entre junho de 2003 e agosto de 2010, o preço do automóvel novo aumentou 12,19%, bem menos os 43,85% da inflação oficial. Para ajudar, os juros médios do crédito para aquisição de veículos recuaram de 3,2% ao mês para 1,8% ao mês.

Segundo o presidente da Fenabrave, apesar do tamanho do público consumidor, não vai faltar produto para quem estiver interessado em comprar o carro zero. Reze afirma que as vendas desse ano deverão crescer cerca de 7,5% em relação ao ano passado ? índice semelhante à projeção de aumento do PIB (Produto Interno Bruto, que é a soma das riquezas produzidas no país).

Promoções

Outro incentivo para a compra do carro novo são os descontos oferecidos pelas montadoras, que querem exterminar os estoques. Reze explica que geralmente, quando se muda de modelo, a montadora coloca algum adicional no preço.

- Ao mesmo tempo, elas fazem promoções para esgotar o estoque do modelo anterior. O consumidor, inclusive, já sabe como se comportar em situação como essas. Ninguém quer ter estoque de produtos antigos, já ultrapassados. É onde aparecem ofertas e promoções que beneficiam o consumidor.

Antes de ir às compras, entretanto, Carlos Stempniewski, professor de finanças das Faculdades Rio Branco, recomenda acabar com as dívidas.

- Usar o dinheiro do 13º salário para o consumo seria minha última opção: livre-se de dívidas! Primeiro do cartão de crédito, depois do cheque especial, do CDC [Crédito Direto ao Consumidor, que são os crediários próprios das lojas], que tem juros de cerca de 5% ao mês, crédito consignado, que tem faixa de juros de 2,5% ao mês, e o financiamento de veículos.

Para o professor, uma alternativa é investir o dinheiro no pagamento antecipado de uma parcela de um imóvel financiado, por exemplo. Outra opção, segundo Stempniewski, é simplesmente guardar o dinheiro porque ?o ano que vem vai ser apertado?.

Fonte: R7, www.r7.com