Brasileiros de maior renda são mais otimistas

Brasileiros de maior renda são os mais otimistas com o futuro

As classes A e B são mais otimistas com relação ao futuro que as classes de menor renda, revela pesquisa sobre a identidade dos brasileiros conduzida pelo sociólogo e cientista político Rodrigo Mendes Ribeiro. De acordo com o levantamento, 76,5% dos brasileiros que pertencem à classe A se dizem otimistas com relação ao futuro. Desses, 9,3% se dizem muito otimistas. Na classe B, o percentual de otimistas alcança os 65,4%, sendo que 6,1% afirmaram estar muito otimistas com relação ao futuro. Dos brasileiros pertencentes à classe C, 58,5% afirmaram estar otimistas, sendo que 6,4% estão muito otimistas. Já entre os brasileiros das classes D e E, o percentual dos otimistas alcança 60,8%, dos quais 11,8% estão muito otimistas. Ao todo, a pesquisa identificou que, do total dos entrevistados, considerando todas as classes socioeconômicas, 61,9% estão otimistas com o futuro. E destes, 8,6% estão muito otimistas. Norte e Sudeste têm boas expectativas Os brasileiros do Norte e Sudeste são os mais otimistas em relação às outras regiões. Ao todo, 64,5% dos que vivem na região Norte e 64,1% dos que estão na Sudeste têm boas expectativas para o futuro. Já nas regiões Centro-Oeste e Sul estão os menores percentuais de otimismo, de 58,6% e 55,2%, respectivamente. Na região Nordeste, 60,8% dos brasileiros estão otimistas com relação ao futuro. Adultos são mais otimistas A pesquisa revela ainda que adultos com idade entre 25 e 29 anos são os mais otimistas. O percentual daqueles que têm boas perspectivas para o futuro alcança 71,8% nessa faixa etária. Em seguida, aparecem aqueles com idade entre 30 e 39 anos, cujo percentual de otimismo alcançou 67,3%. Entre aqueles com idade entre 40 e 49 anos, esse percentual cai para 59,7%, seguido por aqueles com idade entre 50 e 59 anos (57,1%). Os mais novos vêm em seguida: 56,7% dos que têm entre 18 e 24 anos têm boas expectativas para o futuro. Sobre o estudo A pesquisa foi conduzida em março deste ano. Foram ouvidas 1.272 pessoas de todas as classes sociais e todas as regiões. Do total de entrevistados, as mulheres são maioria. Grande parte dos entrevistados é jovem, com idade entre 30 e 39 anos (25,1%), seguidos pelos que têm de 18 a 24 anos (21,9%). Outros 14,2% têm idade entre 25 e 29 anos e 12,1%, entre 50 e 59 anos.

Fonte: MSN, www.msn.com.br