Cai inadimplência e melhora qualidade do crédito

Cai inadimplência e melhora qualidade do crédito

Após dois recuos seguidos, baixa renda puxou alta de 0,5% no 4º trimestre do ano passado

A qualidade do crédito do consumidor brasileiro melhorou 0,5% no 4º trimestre de 2009 graças à redução da inadimplência, sobretudo na baixa renda. O Indicador Serasa Experian da Qualidade de Crédito do Consumidor, divulgado nesta segunda-feira (18), ficou em 78,6 em uma escala entre 0 e 100. Quanto maior o indicador, melhor a qualidade de crédito e, portanto, menor é a chance de inadimplência se o consumidor requerer crédito.

Após apresentar taxas anuais de crescimento ao redor de 10% durante o primeiro semestre de 2009 (quando a crise econômica mundial estava no seu ápice e os postos de emprego eram cortados pela indústria, sobretudo), a inadimplência das pessoas físicas, medida pelo Serasa, desacelerou. O avanço anual no 3º trimestre de 2009 ficou em 6%. No último trimestre do ano passado, a inadimplência teve queda de 2,6% em relação ao mesmo período de 2008.

O desempenho reverteu uma queda de dois trimestres consecutivos (2º e 3º trimestres de 2009). O patamar de 78,2, observado no 3º trimestre de 2009, havia sido o menor de toda a série histórica iniciada em 2007.

O melhor nível do crédito brasileiro está no Sul, onde o indicador do Serasa registrou a marca de 83,8. Na sequência, aparece o Sudeste, onde a nota foi de 78,6 ? a mesma da média nacional.

Por outro lado, o pior crédito está no Norte, onde o índice ficou em 74,6. O Centro-Oeste, com 76,4, e o Nordeste, com 77,6, ficaram abaixo da média nacional.

A melhor recuperação, na comparação entre o 4º e o 3º trimestres, foi do Centro-Oeste, com alta de 1,1% - passou de 75,6 para 76,4. Segundo o Serasa, a melhora se deve ao ?impacto positivo da recuperação dos preços das commodities [matérias-primas básicas, como arroz e soja] no mercado internacional no agronegócio da região.?

A pior qualidade de crédito está na faixa de pessoas que ganham até R$ 500 por mês ? com 73,1. Em contrapartida, a classe acima de R$ 10 mil registra o melhor indicador - com 93,6 - seguida pela renda de R$ 5 mil a 10 mil, em que o indicador ficou em 92,4. Segundo o Serasa, ?a qualidade de crédito do consumidor tende a ser positivamente correlacionada com a sua renda?.

Fonte: R7, www.r7.com