Calotes com cheques caem ao menor nível desde 2004

Mais endividado, consumidor buscou outras formas de pagamento em 2010

O número de cheques sem fundos recuou em 2010 ao menor patamar desde 2004, segundo dados divulgados nesta terça-feira pela empresa de análise de crédito Serasa Experian. De 1,12 bilhão de cheques compensados no ano passado, 19,7 milhões foram devolvidos ? ou seja, apenas 1,76% do total.

Segundo os economistas da Serasa Experian, a queda no acumulado de 2010 mostra a preferência do consumidor por formas de financiamento com prazos mais longos que o pré-datado e com a possibilidade de fazer pagamentos mínimos, como no cartão de crédito.

Endividado, o consumidor usou mais este instrumento nos últimos dois meses do ano para evitar, principalmente, atingir o limite do cartão de crédito. Normalmente o número de cheques sem fundos recua no último mês do ano, devido ao recebimento do 13º salário; em 2010, no entanto, isso não aconteceu.

Em dezembro, na comparação com o mesmo mês de 2009, também houve recuo: foram devolvidos 1,72% dos cheques emitidos no mês passado, contra 1,87% um ano antes. Já na relação com novembro, o volume de cheques sem fundos cresceu, ficando em 1,68% do total.

Para a Serasa, com o pagamento dos impostos (IPTU e IPVA) e das despesas escolares neste primeiro trimestre, o orçamento doméstico pode sofrer pressões e gerar novos avanços no calote com cheques.

Estados e regiões

De janeiro a dezembro, o Amapá foi o Estado com o maior percentual de cheques devolvidos (10,79%); São Paulo, por sua vez, foi o que teve o menor (1,32%). Entre as regiões, a Norte liderou, com 4%; o Sudeste, por sua vez, teve o menor percentual (1,43%).

Fonte: R7, www.r7.com