Carne bovina fica mais cara e pesa na inflação de setembro

A carne bovina encareceu nos supermercados e açougues

A alta no preço da carne bovina foi uma das principais influência no Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S), que subiu de 0,49% para 0,53%, na terceira prévia do mês de setembro. O indicador foi divulgado nesta segunda-feira pela Fundação Getulio Vargas (FGV). O reajuste na carne passou de 1,91% para 2,58% no período.


Carne bovina fica mais cara e pesa na inflação de setembro

Outro grupo que registrou alta foi o vestuário, passando de 0,2% para 0,64%. Os preços das roupas, que haviam caído em média 0,02% no levantamento anterior, aumentaram 0,69%. Em saúde e cuidados pessoais, a taxa subiu de 0,29% para 0,38%, com destaque para os artigos de higiene e cuidado pessoal (de -0,03% para 0,22%).

Em habitação, o índice ficou em 0,37%, ante 0,34%, influenciado pelo pagamento de serviços domésticos (de 0,19% para 0,48%). Em comunicação, o IPC-S apresentou variação de 0,2% ante 0,27%, com destaque para a tarifa de telefone móvel (de 0,28% para 0,48%). Em despesas pessoais, foi constatada elevação de 0,23% ante 0,2%, sob a influência da ração animal (de -0,18% para 0,37%).

O grupo transporte apresentou alta de 0,11%, abaixo da variação anterior (0,15%), sob o efeito da queda de preços dos automóveis usados (de -0,13% para -0,42%). Em educação, leitura e recreação, o índice atingiu 0,11% ante 0,27%, com queda no preçpos das passagens aéreaa de -0,81% para -5,26%.

Fonte: Extra