Ceapi é aposta como modelo de gestão compartilhada

Ceapi é aposta como modelo de gestão compartilhada

A Ceapi é o mais importante centro regional de distribuição de alimentos, mas agora começa a ser conhecida também fora do Estado

Com área total de 300 mil metros quadrados, 92 mil metros quadrados urbanizados e ainda com local para expansão de 208 mil metros quadrados e valor médio mensal comercializado de R$ 15,1 milhões, o que corresponde a movimento diário de mais de R$ 500 mil, a Central de Abastecimento do Piauí é destaque na revista Abastecer Brasil como modelo de aposta em gestão compartilhada.

Em duas páginas seguidas a revista de circulação nacional restabelece a importância da Ceapi no contexto nacional contando com 838 permissionários fixos, 120 permissionários não fixos, dez galpões de comercialização. Contando com um banco dentro da sua área, a Ceapi do Piauí tem fluxo médio de 9 mil pessoas por dia e 1.700 veículos garantindo emprego direto e indireto para 12 mil pessoas.

A Ceapi é o mais importante centro regional de distribuição de alimentos, mas agora começa a ser conhecida também fora do Estado não só pela sua posição privilegiada geograficamente como pelo fato de se tornar também a única referência de Teresina para a distribuição de hortifrutis.

A gestão compartilhada é um modelo de organização social que exige transparência, levando seu conselho a prestar contas mensalmente. Na revista há uma entrevista de oito questões respondidas por José Edilberto Ribamar, presidente da Ceapi. Nela o dirigente com experiência no setor privado e atuando no serviço público desde 2003, ressalta a característica do modelo administrativo adotado.

A Abracen possui 26 Ceasas filiadas com valor estimado anual de comercialização das Ceasas de R$ 17 bilhões e volume estimado anual de comercialização: 17 milhões de toneladas. As Ceasas filiadas congregam cerca de 10 mil empresas estabelecidas. O sistema gera cerca de 200 mil empregos diretos.

A movimentação financeira do conjunto das Ceasas em 2007 foi o equivalente a 9,6 bilhões de dólares, o que correspondeu a: 90% do faturamento da indústria de construção 83,5% do setor de papel e celulose superou em 78% o faturamento do setor de têxtil, superou em 48% o de bens de capital superou em 23% o setor farmacêutico.

Contexto do mercado

A produção nacional de frutas e hortaliças gira em torno de 40 milhões de toneladas ao ano; o setor de frutas e hortaliças movimenta mais de R$ 25 bilhões ao ano; com os supermercados, o consumo “in natura” chega a 25 milhões de toneladas ao ano; trata-se do setor da agricultura que mais cresce no mundo; é responsável por manter a mão-de-obra no campo.

Na sua entrevista à revista Abastecer Brasil, José Edilberto destaca que existe um “foco no grupo de pequenos produtores e temos inclusive, interesse que eles aumentem ainda mais sua mais a sua produção e venha comercializá-la aqui na Ceapi – o maior centro de abastecimento do Piauí” ressalta. Segundo José Edilberto Ribamar, o convite para conceder a entrevista foi muito bem-vindo.

“O jornalista responsável pela revista, Verlan Andrade, me ligou fazendo elogios à nossa administração, logo em seguida, fez o convite. Eu não pensei duas vezes, pois vi nesse convite a oportunidade do Brasil conhecer melhor a nossa central de abastecimento que é muito rica e cheia de potenciais”, explica o presidente. “Para quem não conhecia o nosso mercado e teve a oportunidade de ler a revista, ficou impressionado com o que viu. Eu já recebi telefonemas de todo o país parabenizando a direção da Ceapi pelo atual modelo de administração”, afirma Edilberto.

Fonte: CCOM, www.pi.gov.br