Cesta básica cai em todas as capitais pesquisadas pela primeira vez em seis anos

Cesta básica cai em todas as capitais pesquisadas pela primeira vez em seis anos

Os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica foram divulgados nesta terça-feira (6).

O preço da cesta básica em julho caiu em todas as 18 capitais pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). A última vez que a queda tinha sido registrada em todas as localidades do levantamento mensal foi em maio de 2007 --na época, a pesquisa era feita em 16 cidades.

Os dados da Pesquisa Nacional da Cesta Básica foram divulgados nesta terça-feira (6).

As quedas mais significativas, em julho, foram registradas em Brasília (queda de 8,86%), Florianópolis (variação negativa de 7,61%), Porto Alegre (recuo de 7,06%) e Goiânia (diminuição de 7,00%). As menores variações ocorreram em Salvador (menos 0,18%), Vitória (menos 1,55%) e Manaus (menos 1,82%).

São Paulo tem a cesta básica mais cara

São Paulo manteve o título de capital com cesta básica mais cara. Apesar do recuo de 3,82% ocorrido no último mês, o custo médio paulistano alcançou ou R$ 327,44. Vitória (ES) registrou o segundo maior valor, com R$ 310,73, seguida por Manaus (AM), cesta de R$ 310,52, e Porto Alegre (RS), com R$ 305,91.

Os menores valores médios foram observados na capital sergipana Aracaju (R$ 239,36), Salvador (BA), com R$ 259,73, e Campo Grande (MS), que teve cesta de gêneros alimentícios de R$ 264,87.

No acumulado do ano, entre janeiro e julho, somente em Florianópolis (SC) a cesta básica apresentou queda, de 2,08%. Nas demais 17 localidades houve alta, com os maiores aumentos verificados no Nordeste - região que atravessa período de forte seca: Aracaju (17,30%), João Pessoa (15,85%), Salvador (14,36%), Natal (13,34%) e Recife (12,46%). Belo Horizonte (0,89%), Goiânia (2,34%), Curitiba e Brasília (ambas com 3,08%) apresentaram as menores variações acumuladas.

Em 12 meses, as maiores altas foram encontradas em Salvador (18,72%), João Pessoa (18,13%) e Recife (17,81%). Os menores aumentos acumulados foram verificados em Belo Horizonte (1,81%), Porto Alegre (1,98%) e Brasília (3,22%).

Salário mínimo deveria ser de R$ 2.750,83

Com base no custo apurado para a cesta de São Paulo, o Dieese estima que o salário mínimo necessário em julho deste ano deveria ser de R$ 2.750,83, ou seja, 4,06 vezes o mínimo em vigor, de R$ 678,00. Em junho, o mínimo necessário, equivalia a R$ 2.860,21, ou 4,22 vezes o piso vigente. Em julho de 2012, o valor necessário para atender às despesas de uma família chegava a R$ 2.519,97.

Fonte: UOL