CNI prevê alta do PIB de 4,5% em 2011 e alerta sobre produção

A previsão para a cotação média do dólar em 2011 é de R$ 1,70, abaixo da média estimada este ano de R$ 1,76

A Confederação Nacional da Indústria (CNI) previu nesta terça-feira uma desaceleração da economia em 2011 e alertou para um descompasso entre a evolução da demanda doméstica e da produção. A entidade prevê que o Produto Interno Bruto (PIB) crescerá 4,5% em 2011, após uma alta estimada de 7,6% este ano. No mesmo período, o crescimento do PIB industrial cairá para 4,5%, frente ao patamar de expansão de 10,9% este ano.

"Passada a crise financeira, a euforia da recuperação vista no início do ano, a economia brasileira caminha em uma trajetória de convergência ao seu potencial de crescimento", disse a CNI, em informe. A demanda doméstica continuirá forte, com o consumo das famílias devendo crescer 5,1% e os investimentos, 13,5%.

Contudo, a entidade alertou que a produção não tem crescido em ritmo suficiente para acompanhar a demanda, e a valorização cambial está na raiz deste problema. A previsão para a cotação média do dólar em 2011 é de R$ 1,70, abaixo da média estimada este ano de R$ 1,76. O saldo positivo da balança comercial, por sua vez, deverá diminuir para US$ 4 bilhões, de estimados US$ 15 bilhões este ano.

A CNI também prevê que a taxa básica de juro (Selic) deve voltar a aumentar, chegando a 12% no final de 2011 - atualmente ela está em 10,75% ao ano. "A provável alta dos juros em resposta à aceleração da inflação, irá criar maior pressão sobre o câmbio, exacerbando as dificuldades de competição dos produtos brasileiros", afirmou a CNI.

Fonte: Terra, www.terra.com.br