Com aumento da renda salarial, calote registra queda

Diminuição da inadimplência foi acompanhada por um aumento nas vendas do comércio

O aumento da renda salarial ajudou os brasileiros a pagarem mais as contas em dia e o calote, comum no comércio, registrou queda em 2010.

É o que mostra a pesquisa divulgada nesta quinta-feira (13) da CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas) que mostra uma diminuição de 1,85% na inadimplência no ano passado, na comparação com 2009.

A queda da inadimplência no ano de 2010 foi acompanhada pelo aumento de consultas ao SPC, o que indica um maior volume de vendas. No ano, as consultas cresceram 8,25% na comparação com o ano passado.

De acordo com a CNDL, o principal motivo para a queda na inadimplência é o aumento do emprego e da renda e a injeção dos recursos do 13º salário na economia.

Com mais dinheiro no bolso, os brasileiros procuraram quitar as suas dívidas para começar 2011 no azul.

Segundo o economista da CNDL, Fernando Sasso, o consumidor ficou mais confiante com a economia e comprou mais.

- O crescimento do emprego e a recuperação do rendimento da massa salarial impulsionaram este resultado e a inserção dos públicos das classes D e E. De acordo com dados que obtivemos de uma consultoria, as classes C, D e E foram responsáveis 85% das vendas nesse Natal. Este Natal foi o melhor para o comércio nos últimos dez anos.

A CNDL prevê que o faturamento das empresas do comércio irá crescer 12% no ano de 2010. O número é uma previsão porque os balanços ainda não foram fechados.

Em todo o ano passado, os cancelamentos de registros, que são aqueles consumidores que saíram do cadastro de inadimplência, aumentaram 5,69%. O calote em 2010 se manteve concentrado nas menores faixas de valores de venda, para produtos até R$ 250.

2011

Para 2011, a expectativa da CNDL é de aumento de até 5% na inadimplência nos primeiros quatro meses do ano, na comparação com o mesmo período de 2009. Para o ano todo, o crescimento do comércio varejista deve ficar em 6%.

- Os primeiros quatro meses do ano são críticos para a inadimplência, porque soma as contas do inicio do ano com os parcelamentos das compras no natal. No primeiro quadrimestre o calote deve crescer 5% em relação ao mesmo período do ano passado.

Fonte: R7, www.r7.com