Com crescimento, mais empresas  se instalam na Z. Sul

Com crescimento, mais empresas se instalam na Z. Sul

De acordo com um levantamento realizado pela SDU Sul, a média relativa de pedidos de autorização está crescendo na zona Sul da capital.

É crescente o número de empresas que têm procurado se instalar na zona Sul de Teresina e entre vários fatores, o próprio crescimento da região tem atraído empreendedores para investir naquela área. Um levantamento realizado pela Superintendência de Desenvolvimento da região Sul (SDU Sul) constatou esse crescimento.

De janeiro a dezembro do ano passado, cerca de 2.300 empresas solicitaram autorização para se instalar nessa região da cidade. Já nos primeiros seis meses deste ano, a quantidade de pedidos foi de 1.615, ou seja, número chegou a ser maior que a média relativa àquele período do ano de 2011.

A localização e os próprios valores de terrenos e alguéis de espaços para instalar a empresa são fatores que também têm contribuído para esse aumento na procura.

?Pela zona leste está tudo muito caro e é um meio de tornar o negócio mais em conta. Além disso, a zona está se expandindo e o próprio zoneamento atrai novos empreendedores.

Tem muitas empresas que abrem que são transportadoras e para elas é bem melhor estarem por essa região, já que é mais próximo das BRs e estão na saída da cidade?, explica a gerente de Urbanismo da SDU-Sul, Aline Moura.

A zona Sul também é considerada uma área relevante para a instalação de novas indústrias. Próximo à BR-316 é grande a quantidade de empreendimentos do setor alimentício.

Além disso, é na zona Sul que se concentram os polos industriais. No Polo Industrial Sul, por exemplo, há pelo menos sete empresas instaladas e outras quatro em fase de implantação dos mais variados segmentos. No Distrito Industrial, por sua vez, também é possível encontrar uma quantidade de empresas do setor moveleiro ao alimentício.

Para o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo de Teresina, Alexandre Magalhães, embora a localização facilite a instalação de indústrias, é o comércio que tem recebido um maior impulso naquela região.

?A zona Sul é um ponto de saída da cidade e os acessos facilitam o fluxo de veículos que é muito grande e existe já uma zona industrial preparada naquela região que tem se intensificado. Além disso, é uma região em que o comércio está chegando.

Os bairros grandes como Porto Alegre, Esplanada, que eram tradicionalmente residenciais, hoje têm ruas com comércio muito forte e a cidade tem vivenciado essa realidade de desenvolvimento?, avalia.


Com crescimento, mais empresas  se instalam na Z. Sul

Comércio atrai investidores novos

As indústrias correspondem a uma boa parte dessas empresas na zona Sul, mas é o comércio que tem movimentado grande parte da economia do lugar. Bairros como Parque Piauí e Saci têm seu comércio bastante forte, onde os moradores nem precisam sair de onde moram para encontrar tudo o que precisam.

Para os empresários, a expansão da região tem fomentado bastante a procura para instalar nesses lugares. E quanto mais empresas se instalam, novas outras buscam oportunidades para se instalar.

Ana Cláudia instalou a empresa há 12 anos no Parque Piauí e ao longo desse tempo percebeu um grande aumento na instalação de novos negócios.

Na região, é possível encontrar negócios de todos os tipos, desde lojas de confecções a clínicas e estabelecimentos essenciais como supermercados, farmácias e loterias.

?A procura de empresários que querem se instalar aqui está muito grande, mas falta espaço. Tem gente que está vendendo as casas para fazer ponto comercial. Tem casas na avenida principal do bairro que estão sendo vendidas a R$ 1 milhão?, conta Ana Cláudia.

Para Nonato, proprietário de uma loja de confecções infantis no Parque Piauí, nos bairros as vendas só não chegam a ser superiores ao comércio do centro em virtude da carência de redes bancárias na região.

?Quando se tem pequena demanda de lojas, os moradores não param aqui, eles preferem ir ao centro. Mas quando há um grande aglomerado de pontos comerciais, o pensamento é diferente: primeiro vou no bairro para depois ir ao centro. E se tiver estrutura bancária aumenta mais ainda, pois muita gente vai resolver negócios no banco e aproveita para comprar alguma coisa?, explica.

Além dos bairros, a região comercial se torna bastante forte também nas principais vias da zona. Na Avenida Miguel Rosa, Barão de Gurguéia e BR-316, por exemplo, se tornam grandes corredores comerciais setorizados, onde é possível encontrar várias lojas do mesmo segmento.

Fonte: Virgínia Santos