Combustíveis mais baratos aliviam prévia da inflação oficial

Ainda como reflexo do reajuste do salário mínimo, os salários pagos aos empregados domésticos seguem em alta

O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) registrou inflação de 0,48% em abril, ante taxa de 0,55% no mês anterior, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgados nesta terça-feira. A desaceleração ocorreu devido à queda de 3,08% nos preços de combustíveis. O índice é uma prévia do IPCA - utilizado nas metas de inflação do governo brasileiro.

De acordo com o IBGE, o litro da gasolina ficou 2,12% mais barato que a medição anterior e o álcool 13,64%. No entanto, a queda no preço dos combustíveis não ocorreu de modo uniforme. "Em Recife não houve queda nos preços dos combustíveis, ao contrário, a alta foi de 2,22%. Já em Goiânia a queda chegou a 6,79% e em Curitiba foi de 6,32%", afirmou o instituto.

Ainda como reflexo do reajuste do salário mínimo, os salários pagos aos empregados domésticos seguem em alta (1,6%), mas desaceleraram em relação a março (1,81%). Os artigos de vestuário também exerceram influência positiva (de 0,08% para 1,08%), com o final das promoções e entrada da nova coleção.

Além disso, o grupo alimentação e bebidas também teve variação maior (1,71% ante 1,22% em março). De acordo com o IBGE, a alta é atribuída a problemas climáticos. Os preços dos alimentos já aumentaram, no ano, 4,79%, com contribuições fortes de leite e tomate, segundo o IPCA-15.

"Em abril, o leite pasteurizado apresentou variação de 9,63%, após ter subido 5,27% em março, e ficou com a maior contribuição individual no índice do mês: 0,09 ponto percentual. Empatou, assim com o tomate, cujos preços chegaram a aumentar 36,81%, contribuindo também com 0,09 ponto", afirmou o IBGE em nota.

O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA - índice usado nas metas de inflação do governo -, a diferença está no período de coleta dos preços.

Fonte: Terra