Consultas ao 3º lote do IR fica para segunda

Restituições serão pagas somente no dia 17 de agosto próximo

As consultas ao terceiro lote do Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) deverão ser abertas somente na segunda-feira (10), confirmou nesta quinta-feira (6) a Secretaria da Receita Federal. A informação é diferente do que foi divulgado pelo supervisor nacional do Imposto de Renda do órgão, Joaquim Adir.

Adir não foi localizado nesta quinta-feira para explicar quais as razões do atraso. As restituições, segundo o cronograma do órgão, poderão ser sacadas a partir do dia 17 de agosto. A Receita Federal ainda não informou, entretanto, quantos contribuintes, e nem o valor das restituições, que serão liberadas neste lote.

Assim que abertas, as consultas poderão ser feitas por meio da página da Receita na internet, ou pelo telefone 146. Recebe primeiro a restituição do IR quem enviou mais cedo a declaração do IR sem erros ou omissões. Neste ano, o prazo foi de 3 de março até 30 de abril.

Lotes já pagos

No primeiro lote do IR, que saiu em junho deste ano, o órgão pagou restituições a 1,26 milhão de contribuintes, sendo 1,07 milhão de idosos, englobando o valor total de R$ 1,53 bilhão. Já em julho, no segundo lote do IR 2009, 1,48 milhão de contribuintes receberam restituições, no montante de R$ 1,82 bilhão.

As restituições são pagas mensalmente entre junho e dezembro de cada ano, em sete lotes. Valor não creditado Caso o valor não seja creditado, segundo a Receita Federal, o contribuinte deverá se dirigir ou ligar para uma das agências do Banco do Brasil ou para o ‘BB responde’ 4004-0001 (capitais) ou 0800-729-0001 (demais localidades), para agendar o crédito em conta-corrente ou poupança em seu nome, em qualquer banco.

Restituição

A restituição ficará disponível no banco por um ano. Se o contribuinte não fizer o resgate nesse prazo, deverá requerê-la mediante Formulário Eletrônico (Pedido de Pagamento de Restituição), disponível na página da Receita Federal na Internet. Caso o contribuinte não concorde com o valor da restituição poderá receber a importância disponível no banco e reclamar a diferença na unidade local da Receita Federal.

Fonte: g1, www.g1.com.br