Consumidores da Eletrobras não estão recebendo suas faturas de contas em THE

Consumidores da Eletrobras não estão recebendo suas faturas de contas em THE

Muitos teresinenses afirmam que não têm recebido a conta de luz em casa e precisam ir até os postos de atendimento para emitir a fatura

A Eletrobras é mais uma vez alvo de revolta popular. Além das reclamações sobre a má qualidade dos serviços prestados e das diversas quedas de energia, os consumidores afirmam que não estão recebendo a conta de luz em casa e precisam se deslocar para um dos postos de atendimento da fornecedora de energia, já que o serviço de segunda via da fatura não está disponível no site.

A Eletrobras passa por uma mudança no sistema de medição de energia. A partir de agora, o consumidor recebe a conta em sua residência no instante em que a medição é realizada.

A companhia informa que alguns consumidores de fato não recebem a fatura simultaneamente devido ao novo parâmetro de medição, que avalia irregularidades no consumo.

?Mas neste mesmo período, o consumidor recebe um bilhete informando que a fatura chegará em data posterior?, garante João Carvalho, gerente do departamento de atendimento da Eletrobras.

Entretanto, a população afirma o contrário. ?Não recebi conta nenhuma em casa e não consegui extrair a segunda via na internet. Chego aqui para imprimir a conta no guichê eletrônico e ele está quebrado.

O serviço deixa a desejar, a energia lá em casa vive caindo e perdi uma manhã do meu dia para pagar uma conta que deveria ter sido entregue por eles, pois estou aqui há mais de uma hora?, constata a gerente administrativa Leda Rocha.

A grande fila de espera na companhia é alvo de reclamação dos consumidores. Quem usa o serviço sabe que é comum passar mais de uma hora na fila, mesmo que o tempo máximo de espera estipulado pela Eletrobras seja de 45 minutos. Dos sete guichês disponibilizados na sede da empresa, nem todos funcionam.

Além de todas as dificuldades, as quedas no abastecimento elétrico fazem parte do cotidiano de reclamações da Eletrobras. Leda Rocha mora no centro da cidade e relata que já perdeu três modems no último ano graças às oscilações constantes da rede.

?Tudo aqui é tão difícil que não fui atrás de resolver essa querela na companhia para evitar mais dores de cabeça e constrangimento. Se o abastecimento em Teresina está um caos para quem mora na região central da cidade, imagina quem vive nas áreas mais isoladas da cidade?, reflete.

Consumidores têm eletrodomésticos queimados. As oscilações frequentes de energia têm causado prejuízo para a população. Cidadãos de Teresina acusam que os eletrodomésticos de suas residências não resistem às quedas de tensão e param de funcionar. A dona de casa Elineide Teixeira relata que o pai teve uma geladeira queimada e passou mais de 15 dias para resolver o problema.

?Ele perdeu tudo o que tinha: carnes, legumes e frutas. Muita coisa apodreceu e precisou ser jogada fora. Foi preciso mandar a geladeira para o conserto e ele passou duas semanas sem o eletrodoméstico?, fala. O pai de Elineide fez tudo por conta própria porque não sabia que a Eletrobras oferece reparos para casos como esse.

Após saber do serviço, a dona de casa afirma ter se sentido um pouco mais tranquila, apesar de pensar que este benefício deveria ser informado para a população.

?Para mim é novidade, estou sabendo disso neste momento e acho que a Eletrobras deveria informar os consumidores, pois nem todos têm condições de pagar um conserto particular?, desabafa Elineide.

Eletrobras fornece 2ª via pela internet

Na tentativa de melhorar a relação entre empresa e consumidor, a Eletrobras oferece uma série de serviços que buscam evitar que os cidadãos sofram o aborrecimento de enfrentar longas filas.

O serviço de segunda via da fatura de energia está disponível gratuitamente no site da empresa e em postos de pagamento de contas mediante apresentação da matrícula.

Apesar dos consumidores afirmarem que o serviço on-line não funciona, o coordenador de atendimento Gileno Pontes garante que a emissão de boletos funciona perfeitamente. "A questão é que o usuário precisa realizar um cadastro com senha para ter acesso ao serviço e muitas pessoas não entendem essa etapa", fala.

O conserto de aparelhos eletrônicos queimados pela distribuição de energia deficiente é arcado pela companhia elétrica. O usuário que se sentir lesado deve procurar a empresa munido da nota fiscal ou declaração de posse do produto, um laudo técnico informando a queima do bem, dois orçamentos de conserto, uma fatura de energia elétrica, carteira de identidade e CPF.

O usuário tem até 90 dias após o ocorrido para registrar queixa. Os técnicos têm até dez dias para vistoriar o produto.

Eletrodomésticos que armazenam alimentos perecíveis, como freezers e geladeiras, são vistoriados em apenas um dia. A equipe realiza análise causal para averiguar se o aparelho foi vítima da má qualidade do serviço e caso a resposta seja positiva, a Eletrobras paga o conserto.

Ao mês, a empresa registra cerca de 60 casos de eletrônicos queimados pela oscilação de energia, mas apenas 50% dos consumidores estão com a razão.

"O usuário deve ficar atento ao aterramento de sua rede e às condições de instalação elétricas dos aparelhos, pois aterramento de geladeiras, freezers e computadores é essencial. A queima nem sempre é nossa culpa", pontua o gerente João Carvalho.

Fonte: Olegário Borges