Consumidor brasileiro já pode achar remédios com até 12% de desconto

Os 174 remédios que tiveram a isenção de PIS/Cofins anunciada no final de junho já podem ser encontrados com descontos

Os 174 remédios que tiveram a isenção de PIS/Cofins anunciada no final de junho já podem ser encontrados com descontos nas farmácias e drogarias do país.

A Cmed (Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos), responsável por estabelecer os preços dos remédios, publicou nesta semana a lista com os valores, que estão até 12%mais baratos.

Os consumidores deverão pagar menos em medicamentos de tarjas preta e vermelha para tratar doenças como câncer, arritmia, infecções e diabetes, por exemplo.

A lista completa está no portal da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária): http://portal.anvisa.gov.br.

Segundo o Ministério da Saúde, quando a Cmed determina os novos valores, as empresas não podem cobrar mais que o estabelecido.

Para o presidente do Sindusfarma (Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos no Estado de São Paulo), Nelson Mussolini, a medida é muito positiva, pois a carga tributária dos medicamentos no Brasil é uma das mais altas do mundo, chegando a 33,9%.

Mesmo com a isenção do PIS/Cofins, os preços continuam altos. A maior luta do sindicato é pela redução dos impostos estaduais, explica. No Estado de São Paulo, o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) representa 18% do valor dos remédios vendidos.

Com a medida do governo federal, agora, são mais de mil substâncias isentas.

EM SÃO PAULO:

No início do mês, o governo estadual anunciou a mudança na base de cálculo do ICMS de oito substâncias, como o paracetamol e o ibuprofeno, usadas nos analgésicos e anti-inflamatórios. Mesmo não sendo redução de impostos, há queda de 18% para 7% no valor dos medicamentos.

Veja alguns medicamentos que podem ficar mais baratos:

Abatacepte

Artrite reumatoide

Flurazepam

Insônia

Acetato de degarelix

Câncer de próstata

Fluvastatina sódica

Colesterol

Ácido tióctico

Diabetes

Fosinopril sódico

Hipertensão

Aflibercepte

Degeneração macular úmida

Golimumabe

Artrite reumatoide

Apixabana

Prevenção de trombose venosa, embolia sistêmica e derrame

Hidrogenotartarato de rivastigmina

Alzheimer

Axitinibe

Câncer nos rins

Imipramina

Depressão

Fonte: Folha