SPC: Consumidores pagam dívidas, já de olho no Dia dos Pais

Mais de 25 mil registros foram retirados dos programas de proteção ao crédito.

Com as facilidades de crédito atuais - impulsinadas pelo pacote de medidas do governo que reduz juros e estimula a indústria com a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), - os consumidores teresinenses que estão negativados no Serviço de Proteção ao Crédito (SPC) mostraram um interesse maior em limpar seus nomes. Os dados são referentes à primeira quinzena de julho e revelam que, na capital, mais de 25 mil registros foram cancelados neste período, sendo que foram realizadas 56.835 consultas ao sistema.

O fato é que, esta é uma tendência registrada em todo o país, com o número de inadimplentes em queda. O consumidor descobriu as benesses do crédito e não quer abandonar o poder de compra recém-descoberto. Para a auxiliar de enfermagem, Ângela de Sousa, seu nome hoje é o maior patrimônio que pode ter.

?Não gosto de ter meu nome negativado e, quando aconteceu por razões de dificuldade, fiz de tudo para resolver a questão. Porque, com o nome limpo e comprovante de renda, hoje em dia se pode adquirir muitas coisas através de empréstimos ou financiamentos e não quero perder essas oportunidades?, opina a trabalhadora que pretende financiar um carro até o final do ano.

Em Teresina, a corrida para quitar dívidas e limpar o nome se dá de forma mais marcante neste período por conta da proximidade do Dia dos Pais, comemorado neste ano, dia 12, no segundo domingo de agosto. De posse dos dados do SPC é que as informações de adimplência e inadimplência de pessoas físicas ou jurídicas são usadas para fins de decisão so-bre a concessão de crédito.

De acordo com a gerente do SPC em Teresina, Eline Castro, há uma expectativa de melhora no comércio para este período. ?Tivemos mais de 25 mil cancelamentos. São pessoas que estão aptas a comprar justamente porque nesse período as compras são voltadas para viagens de férias, volta às aulas e pelo Dia dos Pais?, explica.

Evandro Cosme, presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Teresina, também credita este momento à queda dos juros em alguns setores. ?Há uma perspectiva crescente de que, com a queda dos juros, aumentem as compras e melhore a performance do comércio?, pontua. Ele finaliza afirmando que as questões fiscais são ainda um empecilho, não permitindo que os números do varejo melhorem ainda mais.

?O varejo tem potencial para se destacar ainda mais, e se resolver os entraves referentes à briga fiscal, o Piauí poderá apresentar números ainda melhores diante de um quadro que vem se destacando mais positivo a cada dia?, destaca.

Fonte: Marcilany Rodrigues