Consumo de energia cresce 4,9% em outubro, diz EPE

Entre as classes de consumo, setor industrial registrou alta de 5,8%

O consumo nacional de energia elétrica aumentou 4,9% em outubro de 2010, ante igual intervalo de 2009, passando de 33,83 mil gigawatts-hora (GWh) para 35,50 mil GWh, segundo informações divulgadas nesta sexta-feira (26) pela Empresa de Pesquisa Energética (EPE).

"A taxa em relação a outubro de 2009, de 4,9%, foi a menor do ano, mostrando uma acomodação em função da base de comparação mais elevada no último trimestre daquele ano", disse a autarquia, no resenha do mercado de energia elétrica do mês de novembro. No acumulado do ano até outubro, o crescimento apurado foi de 8,5%, para 347,53 mil GWh. Nos últimos 12 meses, o consumo de energia aumentou 7,8% no Brasil, para 416,04 mil GWh.

Entre as classes de consumo, o setor industrial registrou alta de 5,8% na demanda por energia, na comparação entre outubro e igual mês de 2009, para 15,83 mil GWh. A EPE informou que o Sudeste continua apresentando a maior taxa de crescimento entre as regiões do País: 7,5% no período em questão, para 8,93 mil GWh. Destaque para a expansão de 26,4% no consumo industrial no Rio de Janeiro, o que reflete a carga de uma nova siderúrgica e a demanda de uma grande indústria, cuja unidade de autoprodução de energia elétrica está em manutenção.

O consumo de energia do segmento residencial cresceu 4,9% em outubro de 2010, para 8,94 mil GWh. Destaque para o incremento de 14,4% na demanda dos clientes residenciais da Região Norte, enquanto a expansão do consumo no Sudeste e no Sul foi de apenas 3,1% e 2,7%, respectivamente. Apesar do menor crescimento, a EPE afirmou que o mercado residencial continua refletindo os efeitos da conjuntura favorável da economia brasileira, sobretudo no que diz respeito ao mercado de trabalho.

Classe comercial

A demanda da classe comercial aumentou 3,8% entre outubro de 2010 e o mesmo mês de 2010, para 5,70 mil GWh. "Esta foi a menor taxa mensal de crescimento do ano. O resultado sofreu forte influência do desempenho do Sudeste, que, concentrando cerca de 55% do consumo comercial nacional, expandiu apenas 2%", informou a EPE no documento. A menor taxa de crescimento se explica pelo menor número de dias de faturamento e pelas temperaturas amenas para outubro, reduzindo o uso dos sistemas de refrigeração.

A EPE ainda informou que o consumo dos clientes que estão no mercado livre - ambiente que reúne as grandes indústrias do país - cresceu 13,8% em outubro deste ano, para 9,6 mil GWh, ante o mesmo mês de 2009. Nos últimos 12 meses, a expansão é de 4,6%, para 97,4 mil GWh.

Fonte: g1, www.g1.com.br