Contrabando do pó de carnaúba no PI

O Piauí possui uma das maiores áreas plantadas com mais de 25 milhões de hectares

A carna?ba ? respons?vel por 50% da comercializa??o externa e 80% da produ??o nordestina. O Piau? possui uma das maiores ?reas plantadas com mais de 25 milh?es de hectares. No entanto, o setor ainda funciona de forma desorganizada no Estado, ou seja, n?o h? incentivo e as pr?ticas s?o isoladas. Prova disso, ? que, mensalmente, mais de 400 toneladas de p? cer?fero s?o contrabandeadas para o Estado do Cear?.

Somente com impostos o Piau? deixa de arrecadar mais de R$ 100 mil por m?s. A informa??o est? no relat?rio intitulado Projeto Cadeia Produtiva da Carna?ba do Piau?. Dos 224 munic?pios, a carna?ba est? presente em 140 deles, sendo a cidade de Luzil?ndia com a maior concentra??o de carnaubais e maior produtora de p?, enquanto Campo Maior aparece como o maior produtor de cera de carna?ba. Atualmente, 90% do que ? beneficiado ? destinado para a exporta??o, os 10% restantes atendem ao mercado interno.

?Mesmo assim ainda deixamos de produzir mais da metade do nosso potencial produtivo. ? preciso uma aten??o maior com os pequenos produtores que hoje produzem e vendem a carna?ba a um pre?o baix?ssimo para grandes ind?strias?, explicou o consultor e especialista em Carna?ba, Francisco Modesto de Carvalho.

Ele completa que pela falta de organiza??o do setor produtivo, o Piau? deixa de gerar emprego e renda, principalmente, para a agricultura familiar. ?Essa ? uma atividade que evita o ?xodo rural. Em ?reas como o semi-?rido piauiense, a explora??o da carna?ba funciona como um redutor de fluxo migrat?rio?, enfatizou. No relat?rio, elaborado por diversas institui?es no Estado, foi constatado que o setor movimenta cerca de U$$ 60 milh?es/ano com a produ??o conjunta do Piau?, Cear? e Rio Grande do Norte, maiores produtores de carna?ba do pa?s.

A previs?o ? de que este ano, por causa das condi?es clim?ticas favor?veis, o crescimento de novos carnaubais e ao pre?o de mercado interno e externo com o inicio da nova safra, a produ??o possa garantir em torno de U$$ 80 milh?es. O consultor Modesto avalia que o produto tenha uma expans?o significativa, com um crescimento de 35% a 40% nas exporta?es em rela??o ao ano de 2007. ?Mas pod?amos ter quase o dobro dessa produ??o e ainda a arrecada??o significativa de impostos que hoje fica com o Cear?, frisou.

Por?m, n?o ? somente com o contrabando do p? cer?fero que o Cear? sai na frente do Piau?. Mesmo tendo desenvolvido a teconologia de aproveitamento e qualifica??o da carna?ba, n?o ? o Estado que vem gerando emprego e renda atrav?s do secador solar, instrumento que garante o crescimento da produ??o. ?Nenhum produtor piauiense utiliza

o secador, apenas no Cear? que adotou nossa tecnologia e vem crescendo cada vez mais no setor?, destacou Francisco Modesto.

De acordo com o Minist?rio da Ci?ncia, o aumento de rendimento do p? atrav?s do secador solar pode chegar at? a 42% em rela??o ao m?todo tradicional utilizado hoje pelos produtores. Ao transformar o p? em cera, o equipamento proporcionar? um rendimento em cera de at? 106% em compara??o com o sistema empregado na produ??o de cera de origem. O uso do secador, al?m de aumentar a produ??o do p? e o rendimento em cera, produz um p? mais limpo e com melhor pre?o de mercado.

Fonte: Mayara Bastos, Jornal Meio Norte