Cooperativistas de crédito ocupam 6ª posição entre instituições financeiras

Esses dados são resultado da soma dos valores administrados por 1.214 cooperativas de crédito.

As cooperativas de crédito brasileiras avançaram no ranking das maiores instituições financeiras de varejo do país. É o que aponta a informação recentemente divulgada pelo Banco Central do Brasil em seu site na internet. Pelos novos números, o cooperativismo de crédito ultrapassou o Banco HSBC em todos os dados apresentados, atingindo uma boa margem em relação a ele, e ocupando a 6ª posição na lista.

Em 2012, o Sistema Financeiro Nacional cresceu 16,19% no volume de ativos, enquanto as cooperativas de crédito atingiram um aumento de 19,18%. Esses dados são resultado da soma dos valores administrados por 1.214 cooperativas de crédito com os Bancos Cooperativos Sicredi S.A. e Bancoob S.A.

Individualmente analisados, os crescimentos percentuais dos depósitos, operações de crédito e patrimônio líquido são, respectivamente: 25,2%, comparativamente a aumento de apenas 3,84% no Sistema Financeiro Nacional; 24,13%, contra 16,90% no SFN; e de 26,37%, contra um crescimento de 15,11% no SFN. Os números confirmam o maior percentual de crescimento das cooperativas de crédito em relação aos bancos.

Para o assessor especial do Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo - Sescoop, Roberto Guerrero, o cooperativismo de crédito ganha força no Brasil e também no Piauí devido os benefícios trazidos pelos próprios princípios cooperativistas. ?Esse crescimento demonstra a confiança nas cooperativas que integram o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo, o SNCC, e que estas continuam contribuindo fortemente para o desenvolvimento da comunidade com a geração de empregos, produção, serviços e mediante políticas aprovadas pelos seus associados?, pontua.

A cooperativa de crédito é uma instituição organizada sob forma de sociedade cooperada, mantida pelos próprios cooperados, que exercem ao mesmo tempo o papel de donos e usuários. Elas são criadas para oferecer soluções financeiras, constituindo-se em instrumento para que seus associados tenham acesso a produtos e serviços adaptados às suas necessidades e condições. Além disso, esse tipo de cooperativa é eficiente para o fortalecimento da economia, a democratização do crédito e a desconcentração de renda.

Entre as diferenças de cooperativas de crédito e os bancos tradicionais estão: cooperativas de crédito são sociedades de pessoas e não de capital, em que o poder de decisão está na efetiva participação dos sócios e não na detenção de quotas de capital social na instituição; os resultados (sobras) são distribuídos entre os sócios, proporcionalmente ao volume de operações que realizaram durante o exercício; sobre o resultado não incide tributação (Imposto de Renda e Contribuição Social-CSSL), em face da tributação se dar na pessoa física do associado.

Fonte: Ícone