Crédito: Para não entrar no vermelho, é preciso limitar as suas prestações

As taxas costumam ser melhores de acordo com o perfil do cliente, bem como negociar as condições com o gerente

Especialistas alertam que o crédito mais barato não significa que o consumidor pode ser menos cauteloso ao decidir tomar um empréstimo no banco ou em financeira. É preciso sempre pesquisar juros em diferentes instituições ? as taxas costumam ser melhores de acordo com o perfil do cliente ?, bem como negociar as condições com o gerente.

Crédito mais barato também não quer dizer que se deva fazer todas as compras parceladas, como no supermercado ou em shoppings, segundo especialistas em finanças. Pagar muitas prestações ao mesmo tempo costuma ser o primeiro passo para perder o controle financeiro.

Uma dica é evitar que as prestações, somadas, superem de 20% a 30% da renda mensal. É limite considerado saudável para que se consiga enfrentar situações inesperadas, como ficar desempregado ou ter um problema de saúde na família. Para isso, uma sugestão é se organizar melhor, como montar planilhas de gastos e renda.

Para quem já está endividado, pode valer a pena pegar um novo empréstimo com taxas menores para quitar uma dívida antiga, principalmente as caras, como do cheque especial. Primeiro, pode-se tentar renegociar a dívida com o banco ou avaliar a portabilidade do empréstimo para outra instituição que cobre juros menores.

Fonte: Extra