Crédito rápido e taxa de juros baixa atraem clientes para o penhor de jóias

Crédito rápido e taxa de juros baixa atraem clientes para o penhor de jóias

Com crescimento de 6,3% em 2009, modalidade de empréstimo entrega dinheiro na hora

O maior obstáculo para o consumidor interessado em contratar um empréstimo é a taxa de juros. A tarifa do cheque especial ultrapassa 9% ao mês e a do crédito pessoal beira os 20%. Diante deste cenário, o penhor de joias, popular em meados do século passado, volta a ser uma opção para levantar dinheiro rápido com juros baixos e sem burocracia. A taxa mensal não ultrapassa 2%.

Ainda pouco difundido nas novas gerações, a prática cresce no Brasil. No ano passado, houve um aumento de 6,3% no volume de recursos emprestados por meio do penhor joias na comparação com 2008 ? foram emprestados R$ 5,3 bilhões e efetuados 8,5 milhões de contratos em 2009. Como a Caixa Econômica Federal fica com o bem como garantia, a inadimplência é muito baixa, em torno de 0,2%.

Segundo Jorge Pedro de Lima Filho, gerente nacional de aplicação de pessoa física da Caixa, a procura maior se explica pelo impacto da crise financeira e ?pelo aumento do [preço do] ouro, o que permite maiores valores de empréstimos?. Lima Filho afirmou ainda que a procura pelo penhor de joias sempre aumenta no primeiro semestre.

- Entre os meses de março e julho o volume de contratação cresce devido ao aumento de despesas do primeiro trimestre do ano, caindo no final do ano em consequência do décimo terceiro.

Caso o cliente não tenha o dinheiro para retirar a joia, ele pode renovar o contrato com o pagamento da taxa de juros proporcional ao número de dias da renovação. Segundo a Caixa, a joia só vai para leilão se não houver pagamento dos juros 30 dias após a última renovação. Se o consumidor resolver renovar o empréstimo dentro deste prazo, haverá cobrança de uma multa correspondente aos juros de mora de 1% ao mês mais os juros dos 30 dias anteriores.

Na comparação entre dezembro do ano passado com o mesmo mês do ano anterior, houve um salto ainda maior que o anual ? 12,4%. Segundo a Caixa, foram emprestados R$ 460,9 milhões no último mês de 2009 contra R$ 410,2 milhões em dezembro de 2008.

Lima Filho confirma a tendência de crescimento desta modalidade de empréstimo. Para 2010, a Caixa espera ?um crescimento de 18%?. Segundo o gerente, no perfil mais comum de pessoas que procuram o penhor de joias da Caixa, estão mulheres com idade entre 30 e 45 anos.

Outra característica de quem procura esse tipo de empréstimo é a discrição. Os clientes não querem ter que ser identificados porque, geralmente, o empréstimo é feito sem o conhecimento da família.

Fonte: R7, www.r7.com