Cresce investimento no Nordeste e gera novos empregos, afirma ICEI

Cresce investimento no Nordeste e gera novos empregos, afirma ICEI

O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) mostrou que a expectativa voltou a subir em agosto, atingindo 52,5 pontos

O aumento do poder de consumo, a melhoria na infraestrutura das cidades, entre outros fatores têm impulsionado a economia na Região Nordeste. No setor industrial, ela é a região que mais tem se desenvolvido e possibilitado condições para a instalação de novas fábricas e expansão das empresas já existentes. De fato, a região vive seu melhor momento, mesmo com a aceleração inflacionária e um cenário interno desafiador.

A confiança do empresário da Indústria está em alta. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) divulgado recentemente pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostrou que a expectativa voltou a subir em agosto, atingindo 52,5 pontos. O ICEI varia de 0 a 100 e valores acima de 50 indicam empresários confiantes e expectativa otimista.

E essa expectativa se mantém para o futuro. Para os próximos seis meses, o índice de confiança atingiu 56,9 pontos em agosto; 2,5 pontos mais do que em julho. Sobre as condições da economia, as perspectivas atingiram 49,7 pontos, chegando a 60,5 pontos quando se trata do futuro da empresa.

Com a confiança em alta, muitas empresas instaladas no Nordeste têm realizado grandes investimentos para ampliar a produção. Em Goiana, cidade localizada a 62 km de Recife (PE), a Klabin está investindo mais de R$ 400 milhões na ampliação da unidade, tornando a maior planta de papel ondulado da América Latina. A empresa possui capital 100% nacional e é a maior produtora e exportadora de papeis para embalagem, sacos industriais e embalagens de papel ondulados do Brasil.

Na última quinta-feira (15), a empresa inaugurou a expansão da fábrica que deve concluir apenas em 2014, mas já traz resultados. Na área de produção de papel ondulado, que já está com sua expansão concluída, a fábrica teve um crescimento na produção de 105%, com investimento de R$ 62,4 milhões. Nesse setor são produzidas, por exemplo, caixas para transporte de frutas e embalagens para leite longa vida e sabão.

Já na produção de sacos industriais, a última fase deve expandir a produção de 7 milhões de sacos ao mês (antes da expansão) para 20 milhões de sacos/ mês, em 2014. Um crescimento de 185% na produção, com recursos na ordem de R$ 32,25 milhões investidos.

O diretor de Sacos Industriais da Klabin explica os motivos para a expansão do setor. ?A expansão foi motivada pelo crescimento da construção civil. Com o crescimento da renda das famílias, o mercado de sacos cresce de maneira maiúscula. O mercado nordestino cresceu 7% nos últimos sete anos?, destaca. O material produzido é utilizado por empresas para empacotar argamassa, cimento, cal, gesso e diversos outros produtos.

Mas o maior crescimento da empresa está no projeto de papel reciclado. A partir de investimentos de R$ 315 milhões (até 2014), o setor pretende expandir 220% passando de uma produção ao ano de 50 mil toneladas para 160 mil toneladas/ano. A empresa adota o manejo florestal que mescla florestas plantadas de pinus e eucalipto a matas nativas preservadas, protegendo o meio ambiente e assim, possibilitando o crescimento da empresa de modo sustentável.

Para o membro de Conselho de Administração da empresa, Armando Klabin, investimentos também desenvolvem a região onde a indústria está instalada. ?Nós fizemos um pacto de desenvolvimento com o Nordeste. Com a política de descentralização da indústria, podemos atrair investimentos concretos, mas também conhecimento para a região?, pontua.

Investimentos estimulam a geração de emprego

Embora dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística apontem um recuo na geração de emprego no setor industrial nos últimos meses, os investimentos para expansão de empresas possibilitam a criação de novos postos de trabalho, e por consequência, geração de renda à população.

No caso da Klabin, atualmente são mais de 14 mil colaboradores (diretos e indiretos) atuando na fábrica, e a expectativa com a ampliação da unidade Goiana é de crescimento de 33% na geração de empregos diretos.

Os colaboradores participam de cursos de capacitação para trabalhar com as máquinas de tecnologia de ponta, o que permite ter profissionais qualificados na área e com salários melhores.

?Toda vez que são levados novos equipamentos, os profissionais recebem capacitação. Com a formação adequada e profissionais mais experientes, isso permite que as pessoas cresçam?, ressalta Douglas Dalmasi, diretor de Sacos Industriais da Klabin.

Fonte: Virginia Santo