Cresce número de empreendimentos que vendem produtos naturais em Teresina

Cresce número de empreendimentos que vendem produtos naturais em Teresina

“Nós temos a preocupação de oferecer refeições leves, saudáveis e, acima de tudo, com sabor. Nossa cozinha é uma junção disso tudo, saúde com sabor

No mundo inteiro, o uso de produtos naturais está ganhando mercado devido à mudança de hábito das pessoas que desejam levar uma vida mais saudável.

Os empreendimentos do segmento se multiplicaram pelo Brasil. As vendas deste tipo de produto subiram 98% nos últimos cinco anos, e movimentam US$ 35 bilhões ao ano no país, que já é o quarto maior mercado do mundo, segundo pesquisa da consultoria Euromonito.

Em Teresina, o comércio de orgânicos reflete o crescimento do cenário nacional. Por aqui, já é possível encontrar desde lojas especializadas a restaurantes que servem apenas refeições com produtos orgânicos.

O empresário Tácio Chaves está prestes a abrir a sua terceira loja voltada para o segmento. Segundo ele, desde quando abriu a primeira há cinco anos, a procura por artigos de composição natural vem subindo.

O motivo do aumento do consumo seria a conscientização dos teresinenses em manter um estilo de vida mais regrado, impulsionados pelas instalações de novas academias bem estruturadas e a prática de esportes.

“Nos últimos dois anos, o número de clientes mais que dobrou, isso vem aumentando paulatinamente. Quando comecei tinham poucos jogadores nesse mercado, há seis meses abriram várias lojas nesse segmento aqui na capital. Foi detectado um aumento dessa cultura, os empreendedores já notaram e estão apostando.

A cultura de alimentação saudável veio para complementar, de uma certa forma. O teresinense começou a adquirir isso como um hábito, tanto a alimentação quanto as atividades físicas, apesar de não termos um clima propício”, explica.Tácio revela que a tendência do mercado são os produtos sem glúten e sem lactose, que cresceram mais de 200%.

Há cinco, anos em sua primeira loja, havia apenas uma prateleira com esses artigos, hoje são três prateleiras e uma gôndola com uma grande variedade de alimentos sem essas substâncias. Junto aos suplementos, esses produtos somam 50% de todo o investimento que é feito na loja.

“Os produtos sem glúten e lactose eram consumidos apenas por pessoas que tinham intolerância, ou seja, naturalmente os corpos não os absorvem e passam mal.

Mas pesquisas demonstraram que os retirar da dieta faz muito bem à saúde de qualquer pessoa. Por exemplo, quem deixa de consumir o glúten tem menos inchaço, pois ele causa um processo inflamatório no corpo, não só no estômago.”, relata.

Engana-se quem pensa que as pessoas de alimentação natural não possuem opção para fazer refeições fora de casa sem quebrar a dieta. Em Teresina, é possível encontrar restaurantes voltados ao segmento, que oferecem pratos à base de material orgânico.

A nutricionista Honorina Paes Landim é proprietária de um restaurante há quatro anos, na zona Leste da capital, que possui um cardápio com foco na saúde.

“Nós temos a preocupação de oferecer refeições leves, saudáveis e, acima de tudo, com sabor. Nossa cozinha é uma junção disso tudo, saúde com sabor.

Nós não usamos no restaurante nada que venha embalado, procuramos utilizar materiais mais frescos, como por exemplo, ao invés, usarmos um molho de tomate artificial, nós fazemos o nosso próprio, assim como a nossa manteiga, caldos etc”, explica,

Clientes são diversificados


Atualmente, o perfil de consumidores de produtos naturais está mais diversificado, se antes o mito era de que apenas pessoas alternativas e aquelas que vivem de dieta os consumiam, agora esse paradigma mudou. No empreendimento de Tácio, os clientes possuem 15 a 70 anos de diferentes classes econômicas. Mas o público predominante ainda são mulheres de 25 a 45 anos.

“Esse é um paradigma que trabalhamos fortemente para quebrar, pois está arraigado desde o início da cultura de consumo, isso está claramente posto em Teresina. Hoje todos os públicos estão interessados em manter uma vida mais regrada, é uma mudança de hábito que dá uma melhor qualidade de vida, aliando práticas físicas a uma alimentação saudável.

Apesar de os produtos naturais não serem tão baratos, notamos que as pessoas de vários segmentos sociais têm consumido. A loja do centro tem clientes diferentes da outra da zona Leste.

Hoje a cultura do saudável está espalhada por todos os segmentos da sociedade. Há pessoas do interior que ligam e pedem que eu envie os produtos. Então eu lido com todo tipo de público”, explica o empresário. (

 

Fonte: Rhauan Macedo e Lindalva Miranda