Crescimento da colheita de cana-de-açúcar deve representar 4,50% do Piauí

Impulsionar a produção de energia limpa tem sido um dos incentivos do governo.

Impulsionar a produção de energia limpa tem sido um dos incentivos do governo. Por isso, este é um dos objetivos que podem ser alcançados com o crescimento da colheita da cana-de-açúcar no Piauí.

Segundo levantamento feito por técnicos da representação estadual da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), só no Estado este avanço deve representar 4,50% em relação à safra do ano passado.

Porém não somente o avanço em incentivos, mas também o aumento da área de produção e a explosão do mercado local e internacional que tem impulsionado os preços do etanol e açúcar são fatores que ainda representam este crescimento.

"A partir destes indicadores constatamos que quase 15.000 hectares são destinados a esta produção", destaca Alysson Pêgo, superintendente da Conab.

Para um maior destaque a este mercado, no Piauí a usina de Olho d´água na divisa de União e Teresina, já trabalha com a produção de açúcar e etanol. Ao falar especificamente do etanol, o superintendente frisa que os 40,5 milhões de litros de etanol que devem ser produzidos, também deve ser satisfatório ao mesmo tempo em que deve influenciar outros mercados.

"Com o aumento de carros na capital, o combustível tem ficado cada vez mais precioso. Neste sentido o aumento na produção da cana tem sido satisfatório e tem contribuído para uma maior comercialização deste produto", acrescenta o superintendente da companhia de abastecimento.

Além dos destaques para o açúcar e etanol, o crescimento desta produção também deve estimar para todo o Piauí cerca de 38,5 milhões de litros de etanol anidro e 2,1 milhões de litros de etanol hidratado.

Fonte: Thauana Cavalcante