Crescimento da economia avançada estagna em 0,5% no terceiro trimestre

Crescimento das economias avançadas estagna em 0,5% no treceiro trimestre

As economias dos EUA e da Grã-Bretanha cresceram levemente no terceiro trimestre, mas a expansão em muitas outras economias desacelerou, deixando o crescimento dos países da OCDE em 0,5%, disse a OCDE nesta segunda-feira (18/11).

O último dado provisório da OCDE apontava um quadro geral de 1,4% de crescimento em 12 meses, mas a recuperação vacilante deixou o crescimento estagnado em 0,5% nos últimos dois trimestres.

A recuperação da zona do euro e das economias da União Europeia desacelerou do segundo para o terceiro trimestre, com as economias da França e da Itália encolhendo, disse a Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico.

Contudo, comparado com a produção dos 12 meses anteriores no terceiro trimestre do ano passado o "crescimento para a área da OCDE acelerou a 1,4% se comparado a 1% no segundo trimestre", disse a OCDE. "Entre as sete maiores economias (OCDE), o Japão registrou sua maior taxa de crescimento (2,6%) e a Itália, a maior contração (menos 1,9%)", disse a Organização.

Os dados do segundo e do terceiro trimestre da OCDE, que é um fórum político de 34 democracias avançadas, estão amplamente de acordo com os dados recentes, principalmente de países na Europa e na Comissão Europeia.

As economias de toda a área da OCDE cresceram 0,5% no terceiro trimestre, o mesmo dado que no segundo trimestre. O crescimento da economia dos EUA foi de 0,7% em relação a 0,6% no segundo trimestre e na Grã-Bretanha, foi de 0,8% em relação a 0,7%.

Leia mais notícias em Economia

O Banco da Inglaterra afirmou, na semana passada, que a recuperação da economia britânica agora é firme. No Japão, o crescimento caiu com força no trimestre com a atividade subindo 0,5%, menos que os 0,9% no segundo trimestre.

A produção da zona do euro subiu 0,1% e na União Europeia em 0,2%, em queda em relação às taxas de crescimento de 0,3% no segundo trimestre. Este último dado está de acordo com muitos sinais recentes de que a recuperação da zona do euro das crises é frágil. O crescimento na potência da zona do euro, a Alemanha, desacelerou 0,3% em relação aos 0,7% no segundo trimestre.

A economia francesa se contraiu 0,1%, enquanto no segundo trimestre havia crescido 0,5%. Dados recentes da França, juntamente com comentários críticos recentes sobre a política econômica francesa da Comissão Europeia e da OCDE e uma degradação do crédito pela Standard and Poor"s, focaram a atenção em pressões sociais e econômicas no governo de coalizão francês socialista-verdes.

Os últimos dados mostraram que na Itália, a atividade encolheu pelo nono trimestre consecutivo, "mas com o ritmo de contração caindo a 0,1% se comparado a 0,3% no trimestre anterior", disse a OCDE.

Fonte: Correio Web