Crise continuará na América Latina em 2010

América Latina está sofrendo as consequências de um problema que não criou e uma situação que se originou nos países industriais

O secretário-geral da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico), Ángel Gurría, afirmou nesta segunda-feira (8) que o desemprego continuará a crescer em 2010 e que a América Latina foi atingida pela crise, apesar de ter adotado as políticas corretas.

Para Gurría, a América Latina "está sofrendo as consequências de um problema que não criou e uma situação que se originou nos países industriais e nos setores financeiros dos países industriais. A América Latina está resistindo melhor".

Sobre o desemprego, o dirigente da OCDE disse que o ritmo atual do mercado de trabalho no mundo é de contração e os números de desemprego seguirão crescendo no próximo ano. "O emprego é um indicador que vai com atraso. O emprego seguia crescendo quando estávamos nos contraindo."

"Da mesma forma, quando começarmos a aumentar o PIB (Produto Interno Bruto) nominalmente, o desemprego seguirá crescendo. Em 2010, nossos números de desemprego chegarão a seu ponto mais alto, 10% de média, ou um pouco mais no caso da Europa", acrescentou.

Gurría e o presidente do Banco Mundial, Robert Zoellick discursaram ontem no 15º Fórum Econômico Internacional das Américas, que termina na quinta-feira (11), na localidade canadense de Montreal.

Zoellick disse que a China não é um país em desenvolvimento normal e que "provavelmente surpreenderá de forma positiva".

O presidente do Banco Mundial afirmou ainda que, no médio prazo, países como Brasil, China e Índia "terão um papel importante" e advertiu do risco sobre as nações europeias centrais se a integração com o resto da Europa for interrompida.

Fonte: Folha Online, www.folha.com.br