CSN encerra 2009 com lucro de R$ 2,6 bi

Ganhos acima da expectativa no 4º trimestre alavancam números da siderúrgica

 A CSN (Companhia Siderúrgica Nacional) teve lucro líquido de R$ 2,6 bilhões no ano passado, contra R$ 5,774 bilhões em 2008, quando o setor siderúrgico ainda era puxado por um aumento da demanda por aço. O resultado foi obtido graças ao desempenho do 4º trimestre, que acima da expectativa média do mercado e atingiu R$ 745 milhões. O balanço foi divulgado nesta sexta-feira (26).

O resultado favorável dos últimos três meses do ano ocorreram por causa da melhora em margens operacionais e incremento da participação siderúrgica no volume de receitas empresa entre o terceiro e quarto trimestres. Vale lembrar que o bom resultado de 2008 se deve à venda de participação de 40% da mineradora Namisa a um consórcio asiático.

A média de previsões de cinco analistas consultados pela Reuters esperava um lucro líquido para a CSN de R$ 634,6 milhões no quarto trimestre. No terceiro trimestre, o resultado foi positivo em R$ 1,15 bilhão, também puxado por ganho recorrente adicional com a venda de parte da Namisa.

Na véspera, as rivais Usiminas e Gerdau também anunciaram resultados acima do esperado por analistas, em um cenário de melhora na demanda por aço após um início de 2009 em que o setor operou a cerca de 50% de sua capacidade, com 6 de 14 altos fornos desligados. Segundo o Instituto Aço Brasil (entidade que representa as siderúrgicas do país), a expectativa para 2010 é que o consumo interno de aço cresça 23,3% e atinja 22,9 milhões de toneladas, enquanto as exportações devem subir 23,4%, para 11 milhões de toneladas.

Já a produção deve aumentar 25,1%, a 33,2 milhões de toneladas. No balanço, a CSN afirmou que “a recuperação da atividade econômica doméstica está se consolidando” e que “a indústria brasileira de aço terminou o ano de 2009 com evidências consistentes de recuperação".

Em minério de ferro, no quarto trimestre, a CSN exportou 99% das vendas de 6 milhões de toneladas, enquanto a produção totalizou 5,6 milhões de toneladas, das quais 4,1 milhões de toneladas da mina Casa de Pedra e 1,5 milhão de toneladas da mineradora Namisa. A participação das vendas de aço no total de produtos vendidos pela CSN no quarto trimestre foi de 75% contra 74% nos três meses anteriores, enquanto isso, a fatia de mineração no período caiu de 12% para 14%.

No ano, porém, a participação de produtos siderúrgicos no total faturado foi de 72% contra 75% em 2008. A fatia de mineração passou de 15% para 16% em 2009. A CSN terminou 2009 com caixa de R$ 8,1 bilhões e investimentos de R$ 1,9 bilhão.

Fonte: R7, www.r7.com