Dados ruins mantêm Bovespa em baixa

Em Wall Street os índices futuros também indicam um pregão de baixa.

A sexta-feira (27) é de perdas na Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), refletindo os dados negativos vindos do exterior. Às 11h16, o Ibovespa, principal indicador da bolsa paulista, perdia 2,13%, a 37.367 pontos.

Em Wall Street os índices futuros também indicam um pregão de baixa. Os investidores reagem à revisão do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos no último trimestre do ano passado. O dado foi revisado de ?3,8% para -6,2%.

Entre as ações, o foco está nas ações do Citigroup, que chegou a um acordo com o governo, que passará a ter 36% da instituição. Pelos moldes do negócio, o governo converterá até US$ 25 bilhões em ações preferenciais em ordinárias. Outros grandes acionistas, como fundo soberano de Cingapura e o príncipe saudita Alwaleed Bin Talal Bin Abdulaziz Alsaud também converterão ações.

Na Bovespa, atenção para as ações da TIM: a operadora viu seu ganho líquido aumentar 66% no quarto trimestre, para R$ 299 milhões, resultado impulsionado por crédito tributário de R$ 132 milhões.

Europa e Ásia

Na Europa, os índices caem de forma bastante acentuada, com os bancos liderando as perdas. Ainda na região, o Banco Mundial, o Banco Europeu de Reconstrução e Desenvolvimento e o Bando de Investimento Europeu anunciaram um pacote de US$ 31,2 bilhões para fortalecer os bancos do Leste Europeu, que também sofrem com a crise.

Na Ásia, a semana chegou ao fim com ganho de 1,48% em Tóquio e alta de 0,78% em Seul. Já na China, Xangai perdeu 1,81% e Hong Kong desvalorizou 0,65%.

Véspera

Na quinta-feira, o pregão acabou de forma negativa na Bovespa, que não escapou da virada de humor em Wall Street. Depois de subir mais de 2,5%, o Ibovespa encerrou com leve baixa de 0,13%, aos 38.180 pontos. O giro financeiro ficou em R$ 3,38 bilhões.

Fonte: g1, www.g1.com.br