Desemprego no Brasil em outubro cai na comparação mensal em um ano

Desemprego no Brasil em outubro cai na comparação mensal em um ano

Desemprego no Brasil em outubro fica em 4,7%, queda no mês e em um ano

O desemprego no Brasil em outubro foi de 4,7%, o que representa queda com relação a setembro (4,9%) e na comparação com outubro do ano passado (5,2%). A taxa também é a menor em outubro em 12 anos, quando a série começou.

O contingente de desocupados foi estimado em 1,1 milhão de pessoas, sem variação em relação a setembro. Na comparação com outubro de 2013, houve queda de 10,1%.

O salário médio nas regiões analisadas atingiu R$ 2.122,10, aumento em relação a setembro (R$ 2.075,39) e a outubro de 2013 (R$ 2.041,10).

As informações são da PME (Pesquisa Mensal de Emprego), divulgada pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta quarta-feira (19).

Ela é baseada nos dados das regiões metropolitanas de Recife (PE), Belo Horizonte (MG), São Paulo (SP), Salvador (BA), Rio de Janeiro (RJ) e Porto Alegre (RS).

Em setembro, a taxa de desemprego ficou em 4,9%. A taxa também foi a menor para o mês em doze anos e teve queda de 0,5 ponto percentual na comparação anual. Em agosto, a taxa de desemprego foi de 5%.
Salvador tem maior queda

A taxa de desocupação na região metropolitana de Salvador foi a que registrou maior queda em outubro, 1,8 ponto percentual.

Em setembro, a taxa era de 10,3% e passou a 8,5%. As demais regiões não tiveram variação significativa.

Na comparação anual, Porto Alegre teve aumento de 1,6 ponto percentual, passando de 3% a 4,6%.

Em São Paulo, a queda no desemprego foi de 1,2 ponto percentual em relação a outubro de 2013, de 5,6% a 4,4%. As outras regiões não mostraram variação na comparação anual.
Rendimento médio aumenta

Em comparação com outubro de 2013, o rendimento médio apresentou aumento em todas as regiões. Rio de Janeiro, com 8,6%, e Recife, 8,4%, apresentaram as maiores variações.

O rendimento em Porto Alegre caiu 1,8% em relação a setembro, cresceu 9,7% em Salvador, 4,6% em Belo Horizonte, 0,8% no Rio de Janeiro, 2,8% em São Paulo e não teve alteração em Recife.
Mudanças na análise

A PME deverá deixar de existir no ano que vem. Ela será substituída pela Pnad Contínua (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua), lançada em janeiro deste ano e divulgada a cada três meses.

A Pnad Contínua leva em conta dados de 211.344 domicílios particulares permanentes distribuídos em cerca de 3.500 municípios.

O IBGE já divulgou resultados de quatro Pnad contínua: a primeira com dados do 1° trimestre de 2012 ao 2° trimestre de 2013; a segunda relativa ao 3º e 4º trimestre de 2013; a terceira referente ao 1º trimestre de 2014 e a quarta ao 2º trimestre.

Clique e curta o Portal Meio Norte no Facebook

 

Fonte: UOL