Desemprego tem a  menor taxa para março em 12 anos, diz IBGE

Desemprego tem a menor taxa para março em 12 anos, diz IBGE

Foi a menor taxa para o mês de março desde o início da série do IBGE, em 2002

Mesmo sem a economia ter mostrado uma reação mais firme no começo deste ano, a taxa de desemprego segue em patamar baixo. Ela ficou em 5,7% em março, nível similar à registrada em janeiro (5,4%) e fevereiro (5,6%) deste ano, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (25) pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Foi a menor taxa para o mês de março desde o início da série do IBGE, em 2002.

Veja como os dados de emprego podem afetar seus investimentos

O resultado foi melhor que o esperado pelo mercado. Mediana de 25 previsões feitas por analistas consultados pela agência de notícias Reuters previa uma taxa de 5,9% em março. As estimativas variaram de 5,7% a 6,1%.

Foi estimado em 1,373 milhão o total de pessoas desocupadas no mês passado, recuo de 8,5% em relação a março de 2012 e alta de 1,2% em relação a fevereiro deste ano.

Já o contingente de pessoas ocupadas nas seis principais regiões metropolitanas do país atingiu 22,922 milhões, alta de 1,2% ante março de 2012 e leve queda de 0,2% em relação a fevereiro.

O emprego com carteira de trabalho assinada cresceu 2,8% na comparação com março de 2012 e retraiu 0,5% ante fevereiro.

SETORES

De fevereiro para março, o emprego caiu mais na indústria --que fechou 83 mil vagas de um mês para o outro, o equivalente a uma queda de 2,2%-- e o ramo de outros serviços, com retração de 2,4% (menos 100 mil postos de trabalho).

A construção também registrou taxas negativas, com perda de 0,2%.

O emprego, no entanto, avançou nos ramos de educação, saúde e administração públicas (2%), serviços domésticos (2,3%), serviços prestados às empresas (0,7%) e comércio (0,4%).

RENDIMENTO MÉDIO POR REGIÃO

Pelos dados do IBGE, o rendimento, estimado em R$ 1.855,40 no mês passado, apresentou expansão de 0,6% na comparação com março de 2012 e recuo de 0,2% em relação a fevereiro.

Fonte: Folha