Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano; saiba

Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano; saiba

As mudanças realizadas pelos proprietários de Atacadões, por conta das vendas do final de ano, acabam confundindo os consumidores

Os atacadistas estão reorganizando os estoques para aproveitar as vendas de fim de ano, o que implica em diversos contratempos para os consumidores. Nesta semana, um dos estabelecimentos pesquisados resolveu promover uma mudança radical no posicionamento das prateleiras e gôndolas, o que resultou em consumidores um pouco perdidos na busca pelos produtos. Vários itens não tinham preço à mostra, o que forçava os consumidores a dirigir-se ao pessoal de loja. Ou seja, vida nada fácil para quem tem o hábito de pesquisar com o objetivo de maximizar a economia de gastos.

A corrida dos preços no atacado voltou a ficar apertada. Nesta semana, a diferença de preços do mais caro para o mais barato voltou a cair, ficando em R$ 4,02. O ranking manteve a mesma ordem da semana passada, com o Makro mostrando-se o mais vantajoso. Em segundo, aparece o Carvalho Mercadão, seguido por Atacadão Carrefour e Maxxi.

Vale ressaltar que a metodologia da pesquisa anota os produtos mais baratos nos itens sem marca definida na tabela (exemplos: Água sanitária, flocão de milho, feijão carioca) e procura pela marca em produtos cuja marca aparece especificada (a exemplo do leite Itambé). Ou seja, quem tem mais variedade de produtos acaba levando vantagem.

Esse critério foi introduzido com o objetivo de contemplar os consumidores que sempre optam pelos itens mais em conta.

Em alguns casos, como o da água mineral de 500 ml, aparece uma marca específica (no caso, Regina), mas diante da falta dela, considera-se uma alternativa similar, para não penalizar tanto a soma final (que já é prejudicada pela falta de produtos elementares em vários dos atacadistas). No caso do arroz tipo 1, é considerado em cada estabelecimento o mais barato dentre as marcas mais populares.


Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano

Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano

Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano

Desorganização em atacadões aumenta no fim do ano

Fonte: Jornal Meio Norte