Devido as altas temperaturas cresce conta de água e luz

Dados da Eletrobras mostram que o consumo de energia elétrica, só em residências, aumentou cerca de 13% no mês de janeiro

Os primeiros meses do ano de 2013 estão bem mais quentes do que o mesmo período de anos anteriores. Os meses de janeiro e fevereiro, que costumam apresentar uma temperatura bastante agradável em Teresina, este ano foram atípicos e os termômetros marcaram temperaturas bem elevadas. Dados da Eletrobras mostram que o consumo de energia elétrica, só em residências, aumentou cerca de 13% no mês de janeiro e aproximadamente 18% no mês de fevereiro, em comparação com o mesmo período do ano passado.

O estudante Edward Montenegro conta que a sua conta de luz nos meses de janeiro e fevereiro foi mais alta do que costumava ser nesses mesmos meses de anos anteriores. O ar-condicionado, que antes não era necessário nessa época do ano, virou item indispensável em sua casa. ?Antes chovia mais e as temperaturas acabavam ficando mais amenas. Agora é impossível dormir sem ar-condicionado. Embora acabe comprometendo o orçamento, no final do mês, não tem como não usar?, afirmou.

Já Fábio Moura conta que para aliviar o calor, além de usar ar-condicionado e ventilador, ele tem consumido mais água. Seus banhos têm sido bem mais demorados. ?Tenho consumido mais água, tanto para beber e ficar hidratado como na hora do banho. Inevitavelmente os banhos têm sido mais demorados e na hora de sair de casa, não deixo de usar o ar-condicionado do carro?, pontuou.

Na área comercial também teve variação, que foi de mais de 10%, no mês de fevereiro deste ano, em comparação com o mesmo período do ano passado. Incluindo todos os setores, a variação foi de 11% no mês de fevereiro.

Já a Agespisa, apesar de não ter esse aumento quantificado em números, também constatou que nesses dois primeiros meses do ano a população da capital consumiu mais água do que foi registrado nos meses de janeiro e fevereiro de 2012. Segundo o superintendente operacional da Agespisa, Orlando Aires, o que explica esse aumento, sem dúvida, são as altas temperaturas.

Consumidores reclamam de cobrança indevida

A troca de medidores de energia elétrica pela Eletrobras, nas residências de Teresina, tem desagradado os consumidores da capital. Segundo alguns teresinenses, ao trocar o aparelho, a Eletrobras tem acusado-os de furto de energia elétrica e cobrado deles o que a empresa denomina energia não contada.

O número de pessoas descontentes com essas cobranças tem aumentado nos últimos meses na capital, segundo informações de Juizados de Pequenas Causas da capital. Só no Juizado do bairro Bela Vista, que atende parte da zona Sul da capital, desde janeiro foram registrados 19 casos de reclamações. Lúcia Quitéria Silva é uma das pessoas que estão se sentindo lesadas com essa cobrança que, segundo ela, é indevida.

?No final do ano passado, eles foram lá em casa trocar o medidor e depois chegou a conta de quase R$ 2,00.

Segundo eles, esse valor se deve ao fato de ter havido desvio da energia, mas isso nunca aconteceu na minha casa.

Eu posso garantir?, disse. Por causa disso, ela conta que já entrou na Justiça para cobrar os seus direitos e afirma que não pagará a quantia, pois não admite que houve o desvio apontado pela empresa.

Segundo o assistente da diretoria comercial da Eletrobras, Armando Gaioso, nenhuma das cobranças feitas é indevida, mas as pessoas têm um prazo para recorrer junto à empresa. ?Muitas vezes há um desvio de energia em uma residência e a pessoa que está morando no local nem sabe.

Um exemplo bastante comum são as residências alugadas. A pessoa que morava antes fez o desvio e a cobrança acaba indo para quem mora atualmente. Nesses casos, a pessoa precisa provar o período em que está na residência para que seja responsabilizada apenas pelo tempo que mora na casa?, explicou.

Quanto ao aumento no número de reclamações, Armando explica que isso é normal, já que o número de fiscalizações também aumentou. ?De agora em diante, as reclamações serão bem mais do que aquelas que eram registradas antes. Antes tínhamos 25 equipes e hoje temos 90?

Fonte: Pollyana Carvalho