Dia das Crianças começa a movimentar o comércio de Teresina

A previsão é que o aumento de vendas chegue a 10%

A pouco mais de uma semana para o Dia das Crianças já tem gente indo às lojas para comprar o presente da criançada. Mesmo com a previsão de queda em relação ao ano passado, os consumidores estão dispostos a abrir mão daquelas economias e adquirir o produto almejado por seus filhos. A previsão é que o aumento de vendas chegue a 10% até o final do período comemorativo.

As lojas do centro de Teresina, na sexta-feira (02), apresentou bom movimento. Muitos pais ou responsáveis levaram seus filhos após a escola, para que estes escolhessem os seus presentes. Alguns, ainda pesquisavam o queriam, outros saíam satisfeitos, já outros nem tanto. Segundo Máximo Oliveira, gerente de loja, o período de vendas voltado para o Dia das Crianças, que começou no dia 01 de outubro, já teve um aumento significativo e espera crescimento maior.

“Nos preparamos desde o início do mês passado. Só no segundo dia da temporada, já houve um aumento de 8% nas vendas. A expectativa é que consigamos atingir um aumento de 10% a 12%”, estima o gerente. Para Máximo Oliveira, foi-se o tempo em que crianças só gostavam de ganhar carrinhos ou bonecas, com a Era Tecnológica, o presente ideal tem sido celulares e tablets.

“O presente que as crianças querem tem mudado muito o foco. Hoje, elas frequentam muito o setor da informática, buscando celulares e tablets. Tem outras que gostam de videogame. Já o público menor de 6 anos mantém a tradição de pedir aos pais bicicletas ou velocípedes”, pontua. É o que confirma a cliente Ana Carolina Feitosa, que levou o filho João Daniel de apenas 1 ano, para escolher um velocípede.

“O João Daniel adora carrinhos e velocípedes. Mas antes de comprar, ainda vou pesquisar mais um pouco. Procurar outros modelos e também outros valores, porque os preços estão um tanto que pesados”, ressalta. A tendência de maior movimentação no comércio, para o Dia das Crianças será no próximo final de semana, vésperas do feriado.

Enquanto isso, os lojistas já começam a pensar em estratégias de vendas para as festividades de final de ano.

Fonte: Lindalva Miranda e Márcia Gabriele - Jornal MN