Diferença entre cestas de produtos chega a R$ 28 em Teresina, revela pesquisa

Diferença entre cestas de produtos chega a R$ 28 em Teresina, revela pesquisa

O primeiro lugar no ranking estava mais barato que na semana passada, enquanto o último colocado teve uma pequena variação

Nesta semana, a pesquisa realizada pelo Jornal Meio Norte indicou que o Extra continua em primeiro lugar, apresentando-se como o supermercado que possui o total de produtos da cesta básica mais barato, com o valor de R$ 379,94. Ele está mais em conta que na semana passada, quando apresentou um total de R$ 394,70.

O Comercial Carvalho também permanece na mesma posição da semana passada, ou seja, em última colocação, apresentando-se, portanto, como o supermercado mais caro para o bolso do consumidor, com um total de R$ 416,58.

Porém, este total está mais barato que o total apresentado pelo supermercado na semana passada (R$ 418,15). Desse modo, a diferença de preços entre o supermercado que ocupou o primeiro lugar (Extra) e o quarto lugar no ranking (Carvalho) foi de R$ 28,05.

Em segundo lugar no ranking dos supermercados, com um dos totais mais caros para a cesta de itens básicos, ficou o Pão de Açúcar, com a soma de R$ 407,99. O Hiper Bom Preço deixou de ocupar a segunda posição da semana passada e caiu para a terceira colocação, com um valor total de R$ 409,56.

ATACADOS - No ranking dos atacadistas, o Atacadão voltou a aparecer em primeiro lugar, com a soma de R$ 82,10.

Em segundo aparece o Makro, com R$ 84,43, enquanto o Maxxi figura na terceira posição (R$ 85,11). O Carvalho Mercadão, por sua vez, aparece em quarto lugar, com R$ 87,75. Entre os atacados, a diferença de preços entre o mais caro e o mais barato ficou de R$ 5,65.

Nos estabelecimentos atacadistas, o consumidor está acostumado à outra rotina de circulação entre as prateleiras de produtos. A todo momento, empilhadeiras transitam em meio a caixas e corredores, e o cliente precisa ficar atento.

Outro ponto são as filas - constantemente grandes na hora de pagar as compras nos caixas. A questão é um problema, e alguns locais já começam a se mexer para amenizar esse quadro - um deles, por exemplo, anunciou que deixou de oferecer o serviço de pagamento de contas nos caixas, para dar mais agilidade às filas.













Fonte: Dowglas Lima e Aline Damasceno