Diminui a entrada de dólares no país após IOF

No mês passado, ingresso de divisas supera retiradas em US$ 14,5 bi

O ingresso de dólares na economia brasileira recuou 75% após o estabelecimento da alíquota de 2% do Imposto Sobre Operações Financeiras (IOF) para aplicações em renda fixa e em bolsas de valores no país, mas isso não impediu que a entrada de recursos no país, de US$ 14,59 bilhões no mês de outubro, fosse a segunda maior desde o início da série histórica do Banco Central, em 1982.

Os números foram divulgados nesta quarta-feira (4) pela autoridade monetária. A entrada de outubro foi superada somente por julho de 2007, quando US$ 16,5 bilhões ingressaram no país. IOF e Santander A entrada de recursos no país, para operações financeiras, somou, pela média diária, US$ 230 milhões do dia 20 de outubro em diante - quando passou a vigorar o IOF para capital estrangeiro. Isso representa uma queda de 74,9% em relação à média registrada, no mês de outubro, antes da taxação, que era de US$ 919 milhões de ingresso por dia útil.

O forte ingresso de recursos no país se deve, também, ao lançamento de ações do Santander, ocorrida no início do mês passado. Somente esta operação, segundo analistas, resultou na entrada de US$ 4,15 bilhões na economia brasileira. Se este valor for retirado, o ingresso de divisas ainda teve queda de 59,8% após o estabelecimento do IOF.

Além do Santander, os investimentos em ações de outras empresas também trouxeram recursos para o Brasil no mês passado. Segundo dados do BC, pelo menos US$ 8,56 bilhões haviam entrarado na economia brasileira, na parcial de outubro, para o mercado acionário - o que, se confirmado para todo este mês, representará o maior valor desde 1947.

Operações comerciais e financeiras

Segundo o Banco Central, US$ 1,49 bilhão entraram no país, em outubro, por conta das operações comerciais (fechamento de contratos de exportação de US$ 14,3 bilhões e de US$ 12,81 bilhões para importações). Ao mesmo tempo, a chamada conta financeira, pela qual transitam os investimentos diretos, as aplicações em bolsa de valores e renda fixa, além das remessas de lucros ao exterior, entre outros, teve saldo positivo (entrada) de US$ 13,1 bilhões em outubro – o maior valor deste ano.

Juntas, as operações da balança comercial e da conta financeira englobam todas as entradas e saídas de dólares da economia brasileira. Acumulado do ano O ingresso de US$ 14,59 bilhões em outubro também representou, segundo dados do Banco Central, 63,8% da entrada total de US$ 22,85 bilhões de recursos nos dez primeiros meses deste ano. Em igual período de 2008, o ingresso de divisas na economia brasileira somou US$ 12,54 bilhões, de modo que houve um crescimento de 82,1% neste ano.

Fonte: g1, www.g1.com.br