Dirigente de partido "cristão" é preso por racismo e desacato

O vice-presidente do PSDC de Santo André teria ofendido um guarda civil municipal.

O vice-presidente do PSDC de Santo André, Adriano Giovanni Pieroni, foi preso nesta terça-feira (3) por suspeita de ter cometido os crimes de injúria racial e desacato em São Caetano do Sul, também no ABC. Ele teria ofendido um guarda civil municipal.


Dirigente de partido

O guarda fazia a ronda em frente ao Velório Municipal de São Caetano do sul quando foi, segundo ele, ofendido e caluniado. ?Começou a proferir palavras de baixo calão, de injúria racial, acabou me chamando de macaco, de preto?, contou ao Bom Dia São Paulo desta quarta (4).

Segundo a polícia, Pieroni saiu do velório e foi a uma padaria, onde consumiu bebida alcoólica. Em seguida, ele passou por um carro da Guarda Civil Municipal e começou a confusão. ?Ele passou pelos GCMs ofendendo tanto a dignidade do cargo quanto a dignidade pessoal de ambos que estavam no local, e [disse também que] preto não era gente?, informou o delegado Sérgio Vidal de Lima.

Se condenado pelos crimes de desacato e injúria racial, o dirigente partidário poderá pegar até cinco anos de prisão. Em julho de 2011, Pieroni passou 30 dias preso após ser acusado pela ex-mulher de violência doméstica e ameaça. Na época ele também respondeu a um processo por desacato.

A presidente do diretório municipal do PSDC em Santo André, Ana Glória Silva, afirmou que Pieroni está afastado do cargo para tratamento de hepatite, com uso de medicamentos que podem causar transtornos psicológicos. Segundo ela, o médico dele poderá vir a prestar depoimento. Ana Glória informou às 9h30 desta quarta-feira (4) que irá verificar as circunstâncias em que a prisão ocorreu e se pronunciar oficialmente sobre o fato.

Fonte: G1