Brasileiro deve pagar mais caro para se divertir. Veja!

Brasileiro deve pagar mais caro para se divertir. Veja!

Diversão deve ficar mais cara até o fim do ano

Até o fim deste ano, o brasileiro deve pagar mais caro para se divertir. Ao menos, esta é a análise do economista da FGV (Fundação Getulio Vargas), André Braz.

Segundo ele, a tendência já pode ser observada no IPC-S (Índice de Preços ao Consumidor Semanal), divulgado nesta sexta-feira (01) pela Fundação, que aponta alta de 0,30% nas despesas com Educação, Leitura e Recreação.

De acordo com o estudo, o aumento do grupo refletiu, sobretudo, o aumento no item show musical, cuja taxa variou de 0,15% para 5,68% em uma semana.

Mínimo e economia

Ainda na avaliação do economista, dentre os motivos para a alta dos preços de lazer, estão a valorização do salário mínimo, que remunera uma boa parte dos trabalhadores da área, elevando os custos deste tipo de serviço, que, por sua vez, são, consequentemente, repassados para o consumidor.

Além disso, diz ele, a melhora da economia faz com que o brasileiro gaste mais, elevando a demanda e impactando os preços.

Quedas x Altas

Em agosto, entretanto, itens como show musical e teatros acumularam quedas de 0,51% e 3,96%, na comparação com o mesmo período do ano passado. Em São Paulo, os recuos foram ainda maiores, de 3,41% e 9,58%, respectivamente. Já na capital fluminense, tais itens variaram 2,93% e 5,70%, nesta ordem.

Por outro lado, tanto cariocas, como paulistanos, pagaram mais caro para ir ao cinema. Em São Paulo, em agosto, o item já acumulava alta de 6,37% sobre igual período do ano passado; enquanto que no Rio, na mesma base de comparação, o aumento apurado foi de 6,25%.

Considerando o Brasil, a alta é de 5,04%.

Fonte: MSN, www.msn.com.br