Dólar tem ligeira queda e fecha a R$ 3,19 nesta quinta-feira

Segundo dados da BM&FBovespa, o giro financeiro ficou em torno de US$ 2 bilhões

O dólar encerrou em queda nesta quinta-feira, ao fim de mais uma sessão de volatilidade, em um mercado sensível a fluxos pontuais após o Banco Central anunciar que não renovará seu programa de intervenções diárias.

A moeda norte-americana caiu 0,39%, a R$ 3,1909 na venda, após chegar a recuar 0,96% na mínima e subir 0,66% na máxima e trocar de sinal pelo menos nove vezes. Na sessão passada, a divisa havia avançado quase 2,5%.

Segundo dados da BM&FBovespa, o giro financeiro ficou em torno de US$ 2 bilhões.

Diversos agentes financeiros consultados pela Reuters citaram operações cambiais relevantes para explicar o sobe e desce da divisa ao longo da manhã. Era unânime a opinião de que o impacto dessas transações foi exacerbado pela elevada volatilidade que vem permeando o mercado nas últimas sessões, reforçada pela decisão do BC.

"É possível que a volatilidade diminua em alguns dias, mas, por enquanto, o mercado está muito sensível. Qualquer operação faz preço", disse o superintendente de câmbio da corretora Intercam, Jaime Ferreira.

Investidores também monitoraram a firme alta dos rendimentos dos títulos do Tesouro dos Estados Unidos nesta sessão, que levou o dólar a subir contra boa parte das moedas emergentes. O movimento dos Treasuries veio após leilão de notas de sete anos do governo dos Estados Unidos apresentar demanda fraca

O mercado está muito volátil e os investidores não têm segurança para trabalhar no longo prazo. Então você acaba tendo isso, um mercado imprevisível", disse o gerente de câmbio da corretora Treviso, Reginaldo Galhardo.

Nesta manhã, o BC brasileiro deu continuidade às intervenções diárias vendendo a oferta total de até 2 mil swaps, com volume equivalente a US$ 97,8 milhões. Foram vendidos 1.200 contratos para 1º de dezembro de 2015 e 800 para 1º de março de 2016.

O BC também vendeu a oferta total de até 7,4 mil swaps cambiais na rolagem dos contratos que vencem em 1º de abril. Ao todo, a autoridade monetária já rolou o equivalente a US$ 6,389 bilhões, ou cerca de 68% do lote total, correspondente a US$ 9,964 bilhões.

Fonte: Terra