Dólar "vira" e opera em alta, após bater a menor cotação desde mês de junho

O dólar registra pequenas variações nesta sexta-feira, com investidores ainda se ajustando ao cenário indicado pelo Banco Central

Após abrir o dia com desvalorização, o dólar comercial mudou de rumo e passa a operar em leve alta nesta sexta-feira (11), após perdas do dia anterior, quando caiu mais de 1% e fechou na menor cotação desde 18 de junho.

Perto das 13h22, a moeda norte-americana tinha variação positiva de 0,07%, a R$ 2,1830 para a venda.

O dólar registra pequenas variações nesta sexta-feira, com investidores ainda se ajustando ao cenário indicado pelo Banco Central de que deve levar a Selic a dois dígitos e o mercado atento aos sinais de progresso nas negociações orçamentárias nos Estados Unidos, diz a Reuters.

"Como ontem o dólar caiu bastante, hoje é uma forma dele se recuperar", afirmou, à Reuters, o gerente de câmbio da Treviso Corretora, Reginaldo Galhardo.

"O que prevalece (no mercado de câmbio) é a situação de ontem com a perspectiva de juros maior e os leilões do BC", disse à Reuters o economista-chefe da Gradual Investimentos, André Perfeito, referindo-se às intervenções diárias feitas pela autoridade monetária no mercado de câmbio.

Na noite de quarta-feira, o BC elevou a Selic em 0,5 ponto percentual, a 9,5% ao ano, e sinalizou que deverá manter o atual ritmo do ciclo de aperto monetário e levar a taxa para dois dígitos para conter a inflação que segue pressionada, o que deve tornar os ativos brasileiros mais atrativos no mercado global, favorecendo o ingresso de dólar no país.

As atuações do BC também têm influenciado nos mercados. Nesta manhã, o BC vendeu na oferta de linha nos dois leilões de até US$ 1 bilhão, com data de reecompra em 2/1/2014 e em 2/7/2014.

No cenário externo, os investidores ainda continuavam cautelosos com os desdobramentos da crise fiscal nos Estados Unidos, à espera de possível acordo entre democratas e republicanos para por um fim à paralisação parcial do governo norte-americano e elevar o teto da dívida do país até a semana que vem, evitando calote.

Menor cotação desde junho

A divisa fechou em queda de mais de 1% na quinta-feira (10), na menor cotação em quase quatro meses, após o Banco Central sinalizar que o ritmo de aperto monetário continuará e por indicações positivas de avanço nas negociações políticas nos Estados Unidos.

A moeda dos Estados Unidos fechou em queda de 1,13%, a R$ 2,1815 na venda.

É a menor cotação de fechamento desde o dia 18 de junho, quando o dólar encerrou o pregão cotado a R$ 2,1782.

Segundo dados da BM&F, o giro financeiro ficou em torno de US$ 1,5 bilhão, um pouco melhor do que o visto nos últimos pregões.

Fonte: G1