Donos de automóveis trocam de veículo para pagar as contas do começo de ano

Especialistas veem vantagens, mas alertam para troca

A proximidade do início do ano –e das contas de janeiro- estimula muita gente a vender seus carros para comprar um veículo novo a fim de equilibrar o orçamento. A famosa "troca com troco", como a operação é conhecida nas concessionárias, atrai brasileiros por conta dos juros baixos do carro novo.

 O consultor Fernando Prada, por exemplo, vendeu o carro usado na concessionária e comprou um novo em 60 parcelas, sem entrada, com juros de 1,38% ao mês. Os R$ 8.500 que recebeu já tinham destino certo. “Eu saldei contas parceladas de cartão, saldo de cheque especial. Ainda sobrou dinheirinho pra gastar agora no final do ano”, afirmou.

A diferença é grande. Enquanto o cheque especial tem taxa de cerca de 7% ao mês e o juro do cartão de crédito passa de 10%, o do financiamento de automóveis fica em 1,45%. Ele é mais barato porque o risco para o banco é menor já que a garantia é o próprio veículo.

As lojas estimulam esse tipo de negócio. “De 20% a 25% das vendas são efetuadas com troca por troco”, afirmou o gerente Manoel Marques.

Especialistas veem vantagens, mas alertam que ao trocar uma dívida pela outra não se deve levar em conta apenas os juros. “As pessoas olham só a taxa e esquecem o montante e o prazo. Talvez seja melhor procurar um empréstimo pessoal num banco, que vai ter juros maiores, mas que só vai financiar aquela parte que ele precisa”, disse o professor de finanças William Eid, da Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O empresário Paulo de Souza não achou opção melhor. Pela terceira vez, trocou o carro velho por um novo financiado e ficou com R$ 20 mil em caixa para enfrentar a virada do calendário. ”Pagar IPVA, IPTU, é importante para ter tranquilidade e fazer 2010 um ano bom como foi 2009.”

Fonte: g1, www.g1.com.br