Dos 224 municípios, 5 geram 60% de toda riqueza do Piauí; saiba

A informação foi divulgada ontem pela Fundação Cepro e é refe-rente a 2012

Com base nas pesquisas efetuadas pelo Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí (Cepro) juntamente com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE- RJ), foi apresentado para a sociedade teresinense o Produto Interno Bruto (PIB) dos 224 municípios piauienses. Nos detalhes da apresentação, cinco municípios foram destacados como representantes dos maiores PIBs Municipais do Estado de 2010.

Teresina, Parnaíba, Picos, Floriano e Uruçuí foram os responsáveis por 59,71% de toda a riqueza gerada no Estado. Esses cinco maiores municípios em relação ao PIB, somados, agregam 36,63% da população. Para tanto, a grande participação da capital no ano de 2010, 77,7%, de Parnaíba, 80,1%, de Picos, 83,2% e de Floriano, 82,1%, foi no setor de serviços. A cidade de Uruçuí, ganha destaque por possuir expressivo agregado industrial, com 44,4%.

De acordo com Joana D´Arc, técnica pesquisadora do PIB Piauí, o município de Uruçuí só não teve tanto destaque no setor de agropecuária, por conta da grande seca vivida pelos diversos agricultores em todo o Estado. ?Com a seca e consequentemente as grandes perdas, a agropecuária retrocedeu um pouco?, acrescenta.

Em contrapartida, Baixa Grande do Ribeiro, Ribeiro Gonçalves, Santa Filomena, Currais e Palmeira do Piauí, foram os municípios que obtiveram as menores variações de participação relativa no PIB em relação ao ano anterior. Em Baixa Grande, observa-se a queda na produção de culturas, em Ribeiro a retração do milho, em Santa Filomena, a retração na produção de milho, mandioca e feijão, em Currais, a retração na produção de arroz e cana e em Palmeira, a retração na produção de arroz.

Depois dos esclarecimentos, Valmir Falcão, que estava no local representando a Associação Piauiense de Municípios (APPM), declara que frente a outras cidades do Nordeste, o Piauí aumenta seus índices econômicos a cada dia. A preocupação agora é elaborar um novo planejamento, para que os novos gestores possam ampliar melhor os setores de atuação de seus municípios.

?A nossa meta agora tem que ser esta, pois uma indústria em determinado local do Estado, nos dá a dimensão da economia de uma cidade?, declara.

Fronteiras e Guadalupe ganham destaque com valores industriais

Durante a apresentação da pesquisa também foram citados os municípios com maiores valores adicionais da Indústria. Teresina, Uruçuí, Parnaíba, Fronteiras e Guadalupe, juntos correspondem a 67,70% do Valor Adicionado Industrial do Estado. A cidade de Guadalupe, por exemplo, altera sua posição no ranking, devido ao ganho de um novo posto.

?Um incremento a mais na atividade de qualquer município já é um grande ganho para ele. A exemplo de Guadalupe, o diferencial está no crescimento da geração de energia elétrica, fator que fez portanto, com que esta cidade também ganhasse destaque neste quesito?, esclarece o secretário de Planejamento César Fortes.

Outros dados que também foram abordados durante a explicação foram quanto os municípios de maior e menor PIB Per Capita do Piauí. A cidade de Fronteiras merece destaque, portanto, por apresentar 2º colocação ou 2º maior renda per capita dentre as outras cidades destacadas. Segundo César Fortes, também é interessante ressaltar que isto aconteceu por conta de algumas conseqüências que estavam ocorrendo no município.

?Eu estive recentemente no município de Fronteiras e observei as transformações que estavam ocorrendo lá. A partir disto tudo, pode se entender que uma simples ação pôde elevar a situação econômica de um município, seja em que local ou região ele esteja avançando?, explica o secretário.

47,78% do produto total está concentrado em Teresina

Frente aos demais municípios citados, Teresina ocupa o primeiro lugar no ranking dos maiores PIBs de 2010, representando 47,78% de todo o produto total e 10,54 bilhões de reais. Além de possuir forte participação no setor de serviços, o segmento da indústria fica em 2º lugar na capital, representando 21,7%, seguido da agropecuária, com 0,6%.

No setor industrial os destaques foram a fabricação de cervejas, chopes e refrigerantes, fabricação de óleo vegetal, fabricação de produtos metálicos, fabricação de bicicletas e colchões. Enquanto que no setor agropecuário, o destaque vai para a produção de aves, produção de cana-de-açúcar e frutas cítricas e o rebanho bovino.

Em Teresina, a construção civil também ganhou relevância e contribui para mais um aquecimento nos valores do PIB. Em 2010, 53,17% da construção estava centralizada na capital, incluindo ainda o forte segmento de obras públicas, que representam 83,37% do total.

Fonte: Francisco Lima e Thauana Cavalcante