PIB: Economia do país cresce 1,29% em janeiro e dá sinais de recuperação

Na comparação com janeiro de 2012, o IBC-Br avançou 2,73% e acumula em 12 meses alta de 0,7%

O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), considerado uma espécie de sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), mostrou que a economia brasileira pode ter iniciado 2013 em recuperação ao avançar 1,29% em janeiro ante dezembro, de acordo com dados dessazonalizados.

O indicador divulgado nesta sexta-feira mostrou aceleração da atividade depois de a autoridade monetária ter revisado o dado de dezembro sobre novembro para queda de 0,45%, após avanço de 0,26% divulgado anteriormente.

Na comparação com janeiro de 2012, o IBC-Br avançou 2,73% e acumula em 12 meses alta de 0,7%.

O resultado ajuda a reforçar a perspectiva de recuperação da economia brasileira neste início de ano, após ter registrado em 2012 o pior desempenho em três anos, com expansão do PIB de 0,9% no ano.

Tanto a indústria, que pesou com força sobre o crescimento no ano passado, quanto o setor de varejo já mostraram mais fôlego em janeiro. A produção industrial avançou 2,5% no primeiro mês do ano --maior expansão mensal em quase três anos-- e o varejo, 0,6.

Pesquisa Focus do BC mostra que o mercado estima crescimento de 3,1% do PIB em 2013, com expansão de 3% da produção industrial.

Para 2012, o BC também revisou o resultado fechado do IBC-Br, de expansão de 1,35% para apenas 0,52%. O indicador incorpora estimativas para a produção nos três setores básicos da economia -serviços, indústria e agropecuária.

PIB de 2012

A economia brasileira cresceu 0,9% em 2012, segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No quarto trimestre, o crescimento foi de 0,6% em relação ao trimestre anterior, e de 1,4% em relação ao quarto trimestre de 2011. Foi o pior desempenho anual da economia desde 2009, quando encolheu 0,3%. Em 2011, houve crescimento de 2,7% e, em 2010, de 7,5%.

Ministro diz que crise não bateu na porta do brasileiro

Para o ministro da Fazenda, Guido Mantega, a crise econômica mundial não foi sentida pelos brasileiros. "A crise internacional não bateu na porta da família brasileira. Em 2012, tivemos um ótimo resultado do emprego. Os brasileiros estão adquirindo casa própria, automóveis... Para a população foi um ano de melhoria das condições de vida", disse.

Fonte: UOL