Em um ano, inflação em Teresina cresce 8,34%, afirma Fundação Cepro

A pressão pelo aumento de 0,66% localizou-se nos itens componentes dos grupos Vestuário e Habitação, que cresceram 1,76% e 0,86%, respectivamente, segundo o diretor de Estatística da Fundação Cepro

O Índice de Preços ao Consumidor (Custo de Vida) calculado pela Fundação Cepro, para a cidade de Teresina, relativo ao mês de março de 2015, registrou crescimento médio de 0,66% comparado ao mês anterior. Enquanto isso, o acumulado nos últimos 12 meses (abr/2014 a mar/2015) registrou alta de 8,34%.

Ao analisar-se a inflação teresinense ocorrida durante o mês de março de 2015, constatou-se que a pressão pelo aumento de 0,66% localizou-se nos itens componentes dos grupos Vestuário e Habitação, que cresceram 1,76% e 0,86%, respectivamente, segundo o diretor de Estatística da Fundação Cepro – Instituição oficial responsável pelo cálculo em Teresina – Elias Alves Barbosa.

“Com relação ao grupo Vestuário, o crescimento esteve ligado mais diretamente ao reajuste de preços em produtos como calcinha e sutiã, calça comprida para mulher, maiô e biquíni, camisa, saia, e meias; já no grupo Habitação os elementos motivadores pelos aumentos de preços foram o reajuste de 3,02% na tarifa de energia elétrica residencial, seguido, ainda, dos aumentos dos preços nos materiais elétricos em geral, material de limpeza e material hidráulico”, descreve o estatístico.

Os demais grupos apresentaram as seguintes variações: Saúde e Cuidados Pessoais, 0,76%; Serviços Pessoais, 0,68%; Artigos de Residência, 0,54%; Alimentação, 0,46%; e Transportes, 0,24%.

Cesta Básica - A Cesta de Produtos Básicos custou ao teresinense, ao longo do mês de março de 2015, a importância de R$ 274,38 (duzentos e setenta e quatro reais e trinta e oito centavos).

“É importante ressaltar que os produtos constantes da cesta básica, para serem adquiridos pelo trabalhador que vive exclusivamente do salário mínimo, comprometeram no mês de março de 2015 um percentual de 34,82% de seu valor absoluto”, explica Elias Barbosa.

Em relação ao mês de março de 2015, o Custo da Cesta Básica registrou alta de 0,69%, por conta dos aumentos de preços registrados nos seguintes produtos: tomate, 4,11%; feijão, 2,67%; óleo vegetal, 1,53%; e café em pó, 0,89%.

 

Fonte: Jornal Meio Norte