Empregos formais somam 657 mil no trimestre e batem recorde

Ministro Lupi prevê novo recorde para o mês de abril

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta quinta-feira (15) pelo Ministério do Trabalho, revelam que houve a abertura de 657,2 mil postos de emprego com carteira assinada no primeiro trimestre deste ano, o que representa novo recorde da série histórica, que tem início em 1992.

O recorde anterior havia sido registrado nos três primeiros meses de 2008, quando foram abertas 554,44 mil vagas formais de trabalho. No primeiro trimestre de 2009, período marcado pelos efeitos da crise financeira internacional na economia brasileira, houve o fechamento de 57 mil postos de trabalho no Brasil.

Reposição de estoques

De acordo com o Ministério do Trabalho, uma reação positiva de alguns segmentos já era prevista. O governo informou que os setores que mais se destacaram na criação de empregos, nos três primeiros meses deste ano, foram os Serviços (249,8 mil vagas) e a indústria de transformação (204,3 mil postos formais). A construção civil abriu 127,6 mil empregos no primeiro trimestre e o comércio contratou 33,1 mil trabalhadores com carteira assinada.

"Alguns setores, como já prevíamos, responderam muito bem, porque demitiram precipitadamente. Os estoques praticamente zeraram e está havendo necessidade de repor os estoques [e contratar]. É um comportamento sistemático da indústria de tranformação, do setor têxtil e de calçados. Os setores de exportação melhoraram muito. Houve uma reação do mundo. E tem o recorde do setor automobilístico", disse o ministro do Trabalho, Carlos Lupi.

Fonte: g1, www.g1.com.br