Empresa paulista deverá gerar 2 mil empregos diretos no Piauí

Empresa paulista deverá gerar 2 mil empregos diretos no Piauí

Empresa paulista deverá gerar 2 mil empregos diretos no Piauí

Ainda em 2013, segundo a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEMDEC), uma empresa de call center paulista irá se instalar em Teresina gerando cerca de 2.000 mil empregos diretos. Contudo essa perspectiva é apenas de imadiato já que, até o final de 2014, a empresa terá cerca de 5.000 funcionários e novos postos de trabalhos gerados animando o mercado e trabalhadores.

O call center vai funcionar no Distrito Industrial e irá, sobretudo, dar chance aos mais jovens que buscam suas primeiras colocações no mercado de trabalho. As boas notícias dão conta que, também está em contato uma multi nacional italiana, que se instalada no Piauí, em tese deve gerar de 4 a 6 mil empregos diretos.

?A ideia é gerar principalmente colocações para pessoas que buscam o primeiro emprego, porque ela é focada em jovens que não tem experiência prévia. Então, acredito que vai ser muito positivo para a cidade, principalmente para quem não tem experiência, mas que deseja muito entrar no mercado de trabalho?, declara a Monique Meneses, secretária executiva da Semdec.

A empresa de call center paulistana também deve fixar a sua base na capital. Vários fatores desperta tanto os interesses das empresas como o bom nível de estudo dos piauienses, o português fluente com pouco sotaque e o nosso mercado, que ainda é menos concorrido do que no sul do país.

?Aqui em Teresina você não tem uma concorrência acirrada entre essas empresas. Elas são de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais e lá, elas concorrem entre si de maneira predatória. Aqui como é um mercado novo então elas tem bastante interesse. Além disso os nossos índices educacionais são muito bons o que facilita a vinda delas para cá?, explica Monique Meneses.

Essas empresas que chegam não terão vida fácil porque terão trabalho para qualificar a mão de obra. áreas como monitoramento, análise e supervisão ainda são carentes de profissionais qualificados em Teresina.

Fonte: Marcilany Rodrigues