Empresas lucram com produtos para casamentos; conheça

Empresas lucram com produtos para casamentos; conheça

Interessante do mercado é que é possível começar com baixo investimento

O setor de eventos e festas de casamento está aquecido no país. E casar, agora, está na moda. Pequenas empresas lucram no mercado de casamentos com serviços e produtos personalizados.

A empresária Tácia Duarte aposta no setor de casamentos desde 2009. Ela faz bonequinhos vestidos de noivos para enfeitar os bolos. Tácia é uma empreendedora individual e trabalha em um atelier com a ajuda da mãe.

O interessante do mercado é que é possível começar com baixo investimento. Com R$ 10 mil dá para montar uma estrutura pequena e comprar material para confecção dos primeiros noivinhos: a partir daí o que vale é o talento e a criatividade.

Tácia oferece dois modelos de enfeites: a caricatura do casal - bonecos com formas exageradas - ou uma miniatura fiel aos noivos. Para chegar a essa perfeição. Tacia optou por um material diferenciado. No lugar do biscuit, usado pela maioria dos artesãos, ela prefere a cerâmica plástica. Depois de moldadas, as peças ficam meia hora no forno.

Só então recebem os retoques finais. A empresária faz mais de 10 noivinhos por mês. ?A gente senta e vê da melhor forma como que pode trazer a ideia deles para ficar um momento bonito no casamento, para depois eles guardarem de recordação?, afirma a empresária.

Os preços dos bonequinhos variam conforme o modelo. O estilo caricatura custa R$ 350. A mini escultura do casal sobe para R$ 1,3 mil.

A empresária também faz estruturas artificiais de bolos. E aluga só para a decoração da festa. Com isso, o faturamento da empresa chega a R$ 10 mil por mês.

?Desde que eu comecei, a gente conseguiu dobrar a lucratividade e daqui para frente espero conseguir crescer mais e poder contratar mais gente para continuar esse trabalho, fazendo a alegria dos noivos?, diz Tácia.

E se depender da vontade do brasileiro de subir ao altar, o mercado deve crescer ainda mais. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), quase um milhão de pessoas se casaram em 2010.

E só no ano passado, o mercado movimentou R$ 11 bilhões, de acordo com a Expo Noivas, a maior feira de casamentos do país. O casamento é um mercado bem lucrativo para os pequenos empresários. E agora a moda é o diferencial: quanto mais personalizado, melhor.

E é exatamente isso que fazem os empresários Felipe Nascimento e Patrícia Mingues. O investimento para começar o negócio foi baixo: apenas R$ 10 mil. A empresa funciona em São Caetano Do Sul, no ABC paulista. O casal organiza toda a festa. E a ideia surgiu com a produção do casamento deles.

?Nos ficamos noivos e ao planejar as coisas para o nosso casamento, a gente foi vendo que a gente poderia agregar muito nesse mercado. A gente foi estruturando a nossa empresa?, conta Patrícia.

Eles personalizam a festa de casamento de todas as maneiras. Fazem lembrancinhas com mais de 40 tipos de produtos, com fotos dos noivos. Em um pequeno escritório, a equipe monta um vídeo com a história do casal.

?Eles passam para nós o roteiro e nós fazemos toda a parte de animação com as caricaturas deles?, diz Nascimento.

Rodrigo da Silva é um dos clientes. Ele vai se casar e já contratou a empresa para produzir o vídeo. ?Vi que seria uma coisa diferente para o nosso casamento que ficaria na memória de todos?, revela.

A empresa cobra R$ 2 mil por vídeo. O faturamento médio é de R$ 10 mil.

No casamento de Janaína e Luiz Renato, tudo foi personalizado. Os produtos oferecidos pelos empresários Felipe e Patrícia viraram um sucesso. Entre os serviços preferidos estava o de caricaturas.

Diversão para os convidados e alegria dos noivos. ?Cada detalhe do casamento é muito especial. E assim, personalizar, ver a nossa cara em cada coisinha é bem gostoso?, diz Janaína.

Fonte: G1