Entenda a opção de US$ 1 bi que o empresário Eike B. não quer pagar

O empresário Eike Batista busca uma maneira de não pagar até US$ 1 bilhão na petrolífera fundada por ele, a OGX

O empresário Eike Batista questiona o pagamento de até US$ 1 bilhão à petrolífera fundada por ele, a OGX. O que Batista questiona é um contrato de opção que o obriga a comprar novas ações da companhia no valor de R$ 6,30. Atualmente, os papeis da empresa estão cotados em cerca de R$ 0,30.

O que Eike e a OGX fizeram foi uma opção de venda, um produto financeiro conhecido como derivativo. Os derivativos têm esse nome porque são contratos que são precificados com base em um ativo, ou seja, derivado do preço dele.

As opções são contratos que dão ao comprador a possibilidade de comprar ou vender um ativo a um determinado preço estabelecido. Já o vendedor de uma opção tem a obrigação de comprar ou vender um ativo a um preço estabelecido no fechamento do contrato.

Há opções de compra (call) e venda (put). Quem compra uma opção de compra acredita na alta de um ativo. Por exemplo: um negociador compra no dia 1º do mês uma opção de comprar uma ação A por R$ 13 na data do vencimento desse contrato, nesse caso, no dia 30 do mês. Neste primeiro momento de acerto do contrato, a ação A vale R$ 12. O que o comprador da opção de compra precisa é encontrar uma contraparte interessada em negociar essa opção com ele, ou seja, estar disposta a vender a ação A pelos R$ 13 no dia do vencimento do contrato. Essa contraparte vendedora sempre ganha um prêmio pela venda desse contrato.

Caso no dia do vencimento do contrato a ação A esteja cotada a um valor acima de R$ 13, nesse exemplo que ela estivesse a R$ 14, o comprador exerce seu direito de comprar a ação a R$ 13 e adquire um bem abaixo do preço negociado em mercado. Se imediatamente ao comprar a ação por R$ 13 ele a vender pelo valor de mercado, o comprador da opção embolsa um lucro de R$ 1 (diferença entre os R$ 13 pelo preço que comprou e os R$ 14 que vendeu ao mercado naquele momento), menos o prêmio que pagou para ter aquele direito e custos de negociação. Já o vendedor da opção de compra ganha o prêmio por se comprometer a vender o ativo em que esse derivativo se baseia, mas, nesse caso, perderá dinheiro, pois foi ao mercado comprar a ação da empresa A por R$ 14 e teve que revendê-la ao comprador da opção pelo preço combinado de R$ 13.

Porém, o vendedor da opção de compra também pode ganhar. Se no mesmo exemplo anterior a ação da empresa A valesse R$ 11 no dia do vencimento da opção, o comprador não iria exercer o direito de comprar o papel que vale R$ 11 por R$ 13. Nesse caso, o vendedor da opção de compra não seria ?exercido? e embolsaria o prêmio recebido pela venda da opção como seu lucro. Já quem ficaria com o prejuízo seria o comprador da opção, que perderia o prêmio pago por essa opção não exercida.

Opção de venda

Há também os contratos de opção de venda (put). Neles, quem vende o contrato tem a obrigação de comprar um ativo por um preço estabelecido no momento de acerto do contrato; quem compra acredita na queda de um ativo e tem a possibilidade de vendê-lo a um determinado preço. Por exemplo, se para a mesma ação da empresa A, cotada a R$ 12 no dia do acerto do contrato um negociador resolvesse comprar uma opção de venda, ele estaria acordando com a contraparte que tem o direito de vender o ativo a um determinado preço no futuro. Nesse exemplo, ele fecha a opção de venda a R$ 10 e paga à contraparte um prêmio por adquirir esse direito.

Se no dia do vencimento do contrato a ação da empresa A estiver cotada a R$ 9, o comprador da opção exerce o direito de vender a R$ 10 um ativo que vale menos. Nesse caso, ele vai ao mercado comprar a ação por R$ 9, vende à contraparte por R$ 10 e embolsa essa diferença de R$ 1 como lucro (desconta desse valor o que pagou de prêmio pela opção mais custos de negociação). Já a contraparte é obrigada a comprar pelos R$ 10 acertados no contrato um ativo que vale naquele momento R$ 9.

Esse último exemplo é o que acontece com Eike Batista e a OGX. O empresário de comprometeu a comprar ações da empresa a R$ 6,30, mas hoje elas valem cerca de R$ 0,30.

Fonte: Terra