Espectativa do comércio é de que as vendas crescam em até 10% no Dia das Mães

Espectativa do comércio é de que as vendas crescam em até 10% no Dia das Mães

Lojistas apostam na venda de roupas e sapatos para manter o mercado aquecido

O Dia das Mães é considerado pelo comércio a segunda melhor data do ano ? atrás apenas do Natal ? em faturamento. Por isso mesmo, os representantes do setor estão otimistas e esperam que a data aqueça ainda mais o mercado.

A Alshop (Associação dos lojistas de shopping) espera um crescimento de 7% nas vendas em relação ao mesmo período de 2009, quando o crédito ao consumidor ainda estava prejudicado por causa da crise mundial. A expectativa da Fecomércio-SP (Federação do Comércio de São Paulo) também é de alta, que pode variar de 5% a 6%. A ASCP (Associação Comercial de São Paulo) projeta faturamento de 8% a 10% maior.

De acordo com o presidente da Alshop, Nagib Sahyoun, esse crescimento vai ser alavancado, principalmente, pelas lojas de roupas.

- Cerca de 40% das lojas de shopping são de roupas, então é lógico que a aposta forte acaba sendo nesse segmento. Além disso, a coleção nova [outono-inverno] vai atrair a atenção das mães, que preferem ganhar esse tipo de produto. Mulher adora novidades e moda.

Segundo a economista da Fecomércio- SP, Kelly Carvalho, peças de vestuário e calçados são sempre os campeões de vendas na data e a tendência deve ser seguida em 2010.

- De acordo com o levantamento feito no ano passado, cerca de 30% dos consumidores dão roupas e sapatos para as mães. Depois vêm os perfumes e cosméticos, que respondem por 10% das vendas.

Eletrodomésticos

Kelly afirma que a procura por bens duráveis como fogões, geladeiras e fornos de micro-ondas respondem por apenas 9% da procura.

- Os filhos estão procurando produtos de uso pessoal, não pra casa. A escolha por eletrodomésticos vem diminuindo ao longo dos anos.

Já para o economista da ASCP, Marcel Solimeo, os itens da linha branca continuam em alta.

- As pessoas unem o útil ao agradável e acabam dando de presente itens que faltam, ou precisam ser trocados. Então os utensílios para o lar continuam tendo um forte apelo.

Segundo ele, nem a volta da cobrança do IPI (Imposto Sobre Produto Industrializado) deve inibir os consumidores.

- Você até pode ter uma desaceleração em um primeiro momento porque as pessoas anteciparam as compras. Mas o consumidor que parcela o pagamento nem vai sentir a diferença do aumento do imposto em cada prestação e não é por isso que vai deixar de comprar.

Copa do Mundo

Solimeo aposta em outro item que deve ser protagonista no Dia das Mães em 2010: as televisões.

- O setor de TV está bastante otimista por causa da Copa do Mundo [que começa em junho]. O segmento deve crescer entre 10% e 12%, até porque no ano passado, o setor não estava bem porque dependia do crédito [que foi afetado por causa da crise mundial].

Fonte: r7