Estado do Piauí é o 3º em projetos no 2º leilão de energia

Piauí desponta como protagonista na evolução dos parques.

Marcado para o próximo mês de novembro, o segundo leilão de energia de reserva atraiu o interesse de 1.379 empreendimentos de produção de energia eólica e solar, constituindo um novo recorde para a modalidade. A atração conferida pela iniciativa abarca a importância dada pelos investidores ao processo, impondo perspectivas animadoras quanto ao futuro dos projetos descritos pelo país.

Neste cenário ascendente, a Empresa de Pesquisa Energética (EPE), mediante o seu presidente Maurício Tolmasquim, demonstrou segurança indicando para o sucesso da iniciativa, minimizando, assim, os efeitos do rebaixamento do rating de crédito do Brasil.

Através dessa tranquilidade, o Piauí desponta como protagonista na evolução dos parques e usinas voltadas às energias renováveis, assumindo o terceiro posto no próximo leilão. Com o posicionamento assumido pelo Estado em âmbito nacional, serão colocados em pauta projetos de 46 eólicas e 89 direcionados aos parques de energia solar, oferecendo ao todo uma capacidade de 4.242 MW, um número importante para a sua consolidação como grande produtor brasileiro; nisso, a liderança na próxima concorrência fica com a Bahia, possuindo 243 ações para eólicas e 192 relacionadas a usinas solares fotovoltaicas, o que representa em capacidade instalada mais de 12 mil MW. Em seguida está o Rio Grande do Norte, com 184 em- preendimentos de energia eólica e 97 de fonte solar, totalizando 7.648 MW.

Cabe ressaltar que o primeiro leilão que disponibilizou a energia fotovoltaica no ambiente regulado, realizado em outubro de 2014, negociou energia de 31 projetos, totalizando 890 MW de capacidade, ao preço médio de R$ 215,21 por megawatt-hora (MWh), a ação também abarcou outros 31 parques eólicos, o total de investimento previsto pela EPE na implantação dos empreendimentos vencedores foi de R$ 7,1 bilhões.

Fonte: Francy Teixeira